sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Xuxa 2000 - O Disco || 20 anos ||



O que você faria se o mundo fosse acabar amanhã ou, quem sabe, em outubro? A pergunta é totalmente nonsense em pleno 2020, mas imagine alguém lhe perguntando isso em 1999, quando só se falava no fim do mundo, Nostradamus e bug do milênio...

Ninguém ficou imune a essa questão, fosse na brincadeira ou por levar a sério mesmo. Nem a discografia da Xuxa! Afinal quem tá na chuva é pra se molhar, ou melhor, quem tá no mundo é pra aproveitar, porque ele vai acabar... Será?🤔

Em 11 de outubro de 1999, Xuxa lançou o disco “Xuxa 2000”, que encerrou a segunda fase de sua discografia. Apesar do nome e da música de abertura, o disco segue a linha da maioria dos álbuns da loira: música para os pequenininhos e para o público que cresceu ouvindo a loira.


Na realidade, vincular o disco ao "fato do momento" pareceu uma decisão acertada na época, mas hoje é exatamente isso que pode fazer com que a obra soe datada e muita gente se esqueça das boas músicas do repertório do 16º disco de inéditas (em português) de Xuxa. Por isso vamos relembrar – ou conhecer – a história do Xuxa 2000.


⏳ Corrida contra o tempo
Mundo acabando ou não, o tempo do "Xuxa 2000" foi apertado. Como se não bastassem os procedimentos de rotina que um lançamento fonográfico exige (seleção de repertório, gravação, mixagem, produção e distribuição), Xuxa estava com muitos compromissos profissionais em 1999. Isso tudo acabou contribuindo para que o lançamento do disco fosse adiado em cerca de um mês.





Como estava previsto para sair em setembro, Xuxa entrou em estúdio para gravar no finalzinho de junho e a mixagem começou a ser feita no final de julho. Ainda faltavam a impressão e produção das mídias... Resultado: em setembro foi anunciado que o disco ia ficar mesmo para o Dia das Crianças.



🎼 Quando a música tocar, vai tocar seu coração...
E se havia a hipótese do fim de tudo, o jeito era fazer de tudo! E não é que a loira experimentou todos os ritmos que ainda faltavam para ela cantar? Pagode, Country, Axé, Pop, Balada, Rap... tudo isso e mais um pouco!




Começamos pelo fim... O fim do mundo 😮! Pegando carona em todo o disse-me-disse sobre as profecias de Nostradamus, os compositores Michael Sullivan e Dudu Falcão deixaram para Xuxa a tarefa de retrucar o profeta.

Pela primeira vez um disco da loira começava com a parte mais séria do disco. Quem acompanha a discografia, sabe que as músicas com mensagens para “fazer pensar” estão sempre entre as últimas faixas. Mas isso é proposital, a primeira faixa “conversa” diretamente com a última, praticamente um momento “expectativa – realidade”:

Música "Profecias":Desculpe, Nostradamus, mas nós vamos sobreviver
Música "2000":Chegou! O mundo não acabou... A vida é um eterno girar, não vai ter dor, nem nostalgia, é hora de alegria

Nostradamus: "O mundo vai acabar a partir de outubro!"
NostraXuxa: "Vai nada, migo! Outubro sai meu disco.. .Mas se acabar mesmo, eu já profetizei em 1992: 'sobreviveremos a essa década mortal, nem que tenhamos que viver em minha nave especial'. Beijinhos de luz!"


A letra deixa claro que o fim do mundo não é um momento definido, é algo que acontece gradativamente pela própria ação do ser humano e a solução é conscientização das futuras gerações (“Só a nossa força vai mudar a profecia”).

E por que Nostradamus entrou nessa história? Bom, o médico francês que estudava alquimia e astrologia ficou famoso por acertar algumas de suas previsões como a Revolução Francesa e a ascensão de Hitler, mas a que ficou mais famosa foi aquela que dizia que um "Rei do Terror" surgiria no sétimo mês de 1999 e, logo depois de um eclipse do sol, em outubro do mesmo ano, o mundo entraria numa era de trevas jamais vista culminando com seu fim.

Na verdade, o eclipse aconteceu em 11/08/1999 e em outubro o único acontecimento importante - que Nostradamus não previu - foi o lançamento do Xuxa 2000.

Ofertas válidas até 31/12/1999 ou até o fim do mundo, caso aconteça primeiro. Não aceitamos devoluções no caso de promessas e profecias não cumpridas.
Agradecemos a preferência!
Volte sempre (caso o mundo não acabe)!


Voltando a “Profecias”... A música foi apresentada pela primeira vez no Criança Esperança daquele ano e integrou a trilha sonora do programa – por dois anos consecutivos – nos CDs lançados pela Som Livre  em 1999 e 2000.

Xuxa após sua apresentação no Criança Esperança. A música Profecias só foi cantada na edição de 1999, mas integrou a track list dos CDs lançados naquele ano e em 2000


Foi também escolhida como tema da abertura em desenho animado do “Xuxa Park de outubro de 1999  até o fim do programa em janeiro de 2001.

O maior destaque ficou para a escolha da música como um dos temas de abertura da novela Vila Madalena (novembro/99 a maio/2000). “Um dos” porque, pela primeira vez,  a Rede Globo apostava em 14 aberturas diferentes para a novela. Xuxa foi a última a ser divulgada. Para isso ela gravou um miniclipe exclusivo. Veja no item “Profecias na Vila Madalena



✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Xuxa pode até não se considerar cantora, mas pode se dar ao luxo de dizer que gravou todo tipo de música. Nesse disco ela encara até o pagode! A faixa foi encomendada por ela ao grupo Molejo durante o Planeta Xuxa exibido em 30/05/1999. Após Anderson Leonardo mostrar uma "palinha" de uma composição feita para o grupo OxGênios, o vocalista do Molejo e seus parceiros Claumirzinho e Márcio Paiva receberam a missão de fazer uma nova música para a Rainha.


Pedido de Rainha!
Missão dada é missão cumprida

O mais interessante é que a música foi apresentada ao público ao mesmo tempo que foi apresentada à Xuxa. Já que a faixa foi encomendada no ar, também ia ser no ar que todo mundo ia ouvir! Ao final de mais uma das apresentações do Molejo no Planeta Xuxa, Anderson cantou, em primeira mão, duas faixas que havia composto para a loira e adivinhem... uma delas era Pagoxu.

Xuxa gostou e logo gravou a faixa, afinal estava em época de seleção de repertório para o disco. Pagoxu chegou a ser apresentada no Park em sua primeira versão, apenas com os vocais de Xuxa, até que, numa outra participação do grupo no Planeta de 15/08/199, Anderson brincou e criou uma espécie de vinheta para comentar que Xuxa estava no pagode. “Olha só quem tá chegando na área! Xuxa!!!” Pronto! Era a cereja do bolo! A loira não titubeou e pediu que ele gravasse aquela vinheta para colocar na música, já que o disco ainda não tinha passado pela mixagem final quando o programa foi gravado.


"Missão dada, Missão cumprida" - Parte 2


A letra junta o que o Molejo sabe fazer de melhor – pagode – e o universo que o grupo pôde experimentar quando foi um dos apresentadores do Planeta Xuxa durante a licença maternidade da loira. É fácil identificar elementos da dinâmica do programa nos versos: “faça que nem o Planeta que roda, que roda e é coisa linda / ver a galera batendo na palma da mão” ou ainda “o que é que a gente tem, o que é que a gente tem?” – para quem não se lembra, no ano de 1998 essa vinhetinha era chamada toda vez que Xuxa ia fazer um “resumão” do programa do dia.

E não para por aí, ainda existem referências à Libera Geral (1997) – praticamente o segundo tema oficial do programa – e, claro, Dança da Xuxa (1988)!



Repara só, Pagoxu segue na trilha do que Xuxa pedia em “Libera Geral”:
Liberta sobretudo o coração(Libera Geral)
“Jogue pra fora a tristeza do seu coração (Pagoxu)

Libera geral, libera geral, então libera!(Libera Geral)
"Porque tá tudo, tá tudo, tudo liberado!"(Pagoxu)


Pagoxu: além das referências na letra, sucessos antigos também são relembrados na coreografia (Libera Geral - 1997 e Dança da Xuxa - 1988). Até a vinhetinha do "Planeta Xuxa" - "O que é que a gente tem?" - foi lembrada no pagode criado pelo grupo Molejo

Já "Dança da Xuxa", óbvio, tem sua referência no refrão: “Xu-Xu- Xa-Xa” (até a coreografia relembra os passos do clássico da loira...)

A faixa foi uma das mais executadas nos anos 1999 e 2000, mas só ganhou um clipe em 2003, no programa Xuxa no Mundo da Imaginação

A caracterização de Xuxa no clipe de 2003 lembra bastante a que ela usava nas apresentações no "Xuxa Park" em 1999


Curiosidade: A segunda faixa apresentada por Anderson como uma alternativa, caso Xuxa não gostasse de Pagoxu era um pagode para... Sasha! “Eu quero um S, eu quero um A, um outro S e um H...e para completar mais um A” dizia o refrão. Ficou na gaveta...😔



✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️



Cid Guerreiro apresenta sua última composição na discografia de Xuxa. Depois da bem sucedida “Eu Tô feliz” no disco anterior, o baiano novamente recorre à fórmula dos “ês e ôs”: zê zê zeôu / zô zô zô zoar / a hora é essa / e o bicho vai pegar


"O Bicho Vai Pegar" virou tema de encerramento do primeiro bloco do Planeta Xuxa

A faixa acabou se tornando a música de encerramento do primeiro bloco do Planeta Xuxa naquele ano, mas mesmo assim é uma das menos lembradas obras de Cid na carreira fonográfica da loira.
Ela se diferencia das demais obras por conter mais elementos de pop dance do que de axé, ainda que a característica percussão baiana esteja presente. Seu início lembra muito o estilo de música lançado meses antes nos países da América Latina, com o álbum “Xuxa - El Mundo és de los Dos”.

Além de ganhar clipe numa das últimas edições do "Xuxa no Mundo da Imaginação" em dezembro de 2004, foi uma das músicas mais apresentadas na temporada de 2005 do TV Xuxa, num total de três apresentações.





✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️



A partir desta faixa o disco começa a traçar um caminho mais infantil, O Elefante Feliz é composição de Michael Sullivan e Carlos Colla e foi uma das músicas de trabalho, sobretudo no Xuxa Park.

É quase impossível não associar a música a elefantes que marcaram nossa infância, mesmo que ela tenha aparecido só em 1999: Dumbo (Walt Disney) e Jotalhão (Mauricio de Sousa) e, no nosso entendimento, foi esse o caminho que os compositores quiseram seguir: “eu sou de circo, sou famoso, sou artista, dançarino, equilibrista, sou até comediante”...

Dumbo e Jotalhão: famosos, artistas e elefantes felizes!

Músicas infantis sobre elefante não são novidade: Vinícius de Moraes já tinha feito na Arca de Noé e Maurício de Sousa nos LPs da Turma da Mônica (1971 e 1987), mas esse último tem uma semelhança muito grande com a faixa lançada por Xuxa, ouçam (principalmente a partir do minuto 0:53):



Dá para dizer que Sullivan e Colla se inspiraram no Jotalhão ou não? Vocês decidem.

O Elefante Feliz ganhou clipe em 2002 no Xuxa no Mundo da Imaginação e foi regravada por Xuxa em 2010 para o XSPB 10 – Baixinhos, Bichinhos e +.


Um elefante através das gerações: do Park ao XMI / XSPB 
(Afinal um elefante alegra muita gente) 
🐘



✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Logo que Xuxa 2000 saiu, o colunista Jorge Luiz Brasil em matéria sobre o disco para o jornal Extra disse que "A Festinha" era uma música em que “Xuxa relembrava o badalado primeiro aniversário de Sasha”. Se fosse nos dias de hoje ele teria escrito “fake news”... Para começar, quando a faixa foi gravada, Sasha ainda nem tinha feito um ano, então como relembrar o que não aconteceu? Seria algo tipo “saudades do que a gente não viveu”? 😏

Acertaria se tivesse dito que, em “A Festinha”, Xuxa relembra o sucesso de “Festa do Estica e Puxa”, ainda que de forma involuntária. A ideia é a mesma: misturar personagens das histórias infantis com a Turma da Xuxa, numa festa comandada, claro, pela Xuxa!

Já queremos um medley chamado "A Festinha do Estica e Puxa (DJ Nostradamus Mix)"

Mas se a ideia fosse mesmo fazer um remake de "Festa do Estica e Puxa", ainda assim não seria genuinamente algo “Xuxa”. Sabem por quê? A música é uma regravação. Sim, “A Festinha”, composição de Luizito e Paulo Azarias foi lançada originalmente pelo palhaço Tiririca em seu segundo discoTiririca, o Padroeiro do Ceará (1997).




A letra, para a versão de Xuxa, sofreu algumas modificações: de convidada, a loira passou a ser a dona da festa:

E se fosse numa versão de hoje? Quem estaria na lista?
Apostamos em Elsa, Bob Esponja, Lady Bug e Patrulha Canina


Curiosidade:
para poder lançar a faixa com os devidos créditos aos autores, Xuxa precisou usar de seu programa para contactar o compositor Luizito, que mandou a música para ela, mas sem um número de contato válido. Com isso, no início de julho, a loira pediu, no ar, que o compositor entrasse em contato com a produção, pois a música tinha sido escolhida, mas o número deixado não atendia. Se você não vai até a Xuxa, ela vai até a você!

Nas apresentações a loira usava um visual rockabilly, enquanto as Paquitas usavam acessórios que faziam referências aos personagens da letra

Também ganhou um clipe no programa "Xuxa no Mundo da Imaginação", em 2004.






✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Álvaro Socci e Cláudio Matta, dupla que mais compôs para Xuxa, depois de Sullivan & Massadas, dão um tempo nas letras mais elaboradas e trazem a loira para o universo da lambaeróbica. Para você que é mais jovem e está se perguntando o que seria isso; pense nas aulas de zumba que sua tia, sua vizinha e mais um monte de gente faz na academia... era isso!

A lambaeróbica é a precursora das aulas de zumba. Quando essa onda fitness começou a crescer, no fim dos anos 90, um jeito legal de trazer as pessoas para as academias eram as danças de lambaeróbica (mistura de lambada - ah, os anos 80 - e exercícios aeróbicos).

Ora, se já existia Dança da Xuxa, Rexeita da Xuxa, Abecedário da Xuxa, Pelotão da Xuxa, o que faltava para a Turma da Xuxa? Lambaeróbica da Xuxa! Para dançar bastava seguir a letra, mais fácil, impossível... Lembra o estilo de Dança do Sapatinho do disco anterior, aquele pagode baiano que começou com É o Tchan.

É Lambada? É Axé? É Pagode? Não, é a Lambaeróbica da Xuxa!


Já que a temática do disco era o futuro no ano 2000, não dá para ignorar um sinal do novo milênio: “abana o corpo, nessa quentura, mão na cabeça, mão no ombro e na cintura... é do umbigo lá pra baixo que você tem que mexer...” e o que tem lá? Então... joelho e pé hahahahahaha Ok, a gente não ia deixar de brincar com esse prenúncio de "Cabeça, Ombro, Joelho e Pé"😂




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


O compositor, cantor e um dos jurados do extinto reality Ídolos (SBT), Marco Camargo, faz sua estreia num disco da Xuxa ao lado de Zé Henrique (Banda Yahoo). A faixa é bem didática, ensinando os passos do country para os baixinhos (não falamos que Xuxa já cantou de tudo?).

Uma das grandes apostas do disco, “Country” foi escolhida para servir de base para a promoção de divulgação do disco: em 09/10/1999, perto do lançamento, Xuxa apresentou em seu programa a coreografia completa da música e lançou o desafio: o grupo de meninos e meninas que dançasse a música no palco do programa de forma mais fiel ganharia uma bicicleta (para cada integrante). Todo sábado a loira mostrava um VT com a coreografia. A promoção durou até o início de 2000.

Um passo pra cá, um passo pra lá / Um passo pra frente, um passo pra trás...
(Só ganha a bicicleta quem igualzinho faz)


Curiosidade: além da melodia fiel ao ritmo americano, “Dançando o Country” traz referência ao famoso e típico canto dos alpes suíços: o iodelei (yodelling), uma espécie de onomatopeia. A brincadeira de “aportuguesar” o canto já tinha sido feita por Bob Nelson, em 1949 (Eu Tiro o Leite) e Rita Lee, em 1972 (Tiroleite)

Bem que ela podia regravar e adaptar o refrãozinho para "não tomem lei-í-ti-iti"
"Dançando O Country (Go Vegan Vocal Mix)"




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


E já que falamos de cultura estrangeira com o country, por que não continuar a viagem e aprender mais sobre uma festa que a cada dia ganha mais adeptos no Brasil? O Halloween! Se hoje isso já está mais inserido na nossa cultura, há 20 anos era bem diferente e não é que a loira saiu na frente mais uma vez?

Tanto que só depois de 1999, Xuxa passou a ter programas temáticos para a data – Xuxa Park (2000) e Planeta Xuxa (2000 e 2001). A ideia de Sullivan e seu parceiro, Dudu Falcão era afastar o medo de bruxas, transformando-o numa brincadeira.

Com uma "bruxa" dessas, quem vai ter medo?

Claro que a rima foi liberada, pois era conveniente (lembraram dos versos de “Brincar de Rimar” (1996) que diziam “e a Xuxa... Não me faça rima, não!”?). Quem diria que três anos depois, nasceria uma das personagens mais marcantes da carreira de Xuxa, a Bruxa Keka? Até que a rima trouxe mais pontos positivos que negativos, né?

E falando em Keka, não tem como não lembrar do "Xuxa no Mundo da Imaginação"... Pois é, a música ganhou um clipe exclusivo no programa em 2003.

Apesar de ser no XMI, nada de Keka no clipe de "Dia das Bruxas"




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Se você pensou na “Banda da Xuxa”, faixa de 1987, saiba que agora a história é outra! Ou melhor, é a mesma, mas contada de um novo ponto de vista. Se na música dos anos 80, o foco estava em quem tocava os instrumentos (a Turma da Xuxa), agora quem ganha destaque são os próprios instrumentos, que foram humanizados (“e a tuba fala grosso, um tremendo vozeirão”).

Se em "Banda da Xuxa" os protagonistas eram os integrantes da Turma , em "A Bandinha da Xuxa" é a hora dos instrumentos brilharem sozinhos

Mais paralelos: Se em 1987 tivemos os versos polêmicos de Reinaldo Waisman que quaaase causaram a censura de “Banda da Xuxa” (o Praga, distraído / que horror, foi confundindo o tambor com o bundão do Agenor / Ai, minha bunda); dessa vez Zé Henrique e Jorge Gomes fizeram uma brincadeira com as rimas das fanfarras de colégio: “toma limonada pra acordar de madrugada” (ou outro verbo mais escatológico, se preferir) e a clássica recriação do surdo, o instrumento: “Buuum Dão, Buuum Dão”. Brincadeira para a molecada, mas não necessariamente uma novidade; em 1995, Sérgio Mallandro e Gugu usaram o mesmo recurso em músicas de seus discos.

A "Bandinha..." também tocou no Xuxa no Mundo da Imaginação quando ganhou um clipe em 2002.


O clipe foi lançado no DVD "Xuxa no Mundo da Imaginação - Era Uma Vez - Vol 1"



✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Se chamamos “Agora Vou Andar”, música do disco “Boas Notícias”(1997), de “embrião” do XSPB, Cabeça, Tronco e Membros” já pode ser considerada um bebê prematuro. A faixa ficaria perfeita no repertório do projeto que Xuxa viria a lançar no ano seguinte.

“Cabeça...” é a segunda música de Vanessa Alves para um disco da loira, lembrando que ela é responsável pela grande maioria das composições e versões da série XSPB. Um outro ponto que deixa a música mais próxima do futuro projeto é o fato que ela depende do complemento visual (“toque nos ombrinhos, toque igual a mim” / balance as perninhas, balance igual a mim”). Os mais baixinhos precisariam ver como Xuxa estava fazendo para repetir; exatamente o conceito das VHS do XSPB.



Como Xuxa ensinou algumas vezes a coreografia no Xuxa Park, isso, de certa forma, supriu a necessidade visual para os menorzinhos. Mas numa época sem a força do YouTube, o baixinho que não visse o programa tinha que imaginar o movimento (o que também não é ruim).




Mas  nem por isso "Cabeça, Tronco e Membros" ficou sem um clipe para chamar de "seu"; em 2002 a loira tratou de fazer um para ser exibido no programa "Xuxa no Mundo da Imaginação".







✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️



Saindo dos pequenininhos e mirando no pop adolescente, “Efeito Dominó” chega para direcionar Xuxa 2000 para outro público-alvo. A diferença é perceptível em tudo: na letra, nos arranjos e até nas fotos escolhidas para ilustrar a música no encarte. A letra de Sullivan e Dudu Falcão serviu como uma luva para a trilha sonora de “Xuxa Requebra, filme que marcava a volta da loira ao circuito cinematográfico brasileiro depois de 9 anos. A história falava de uma escola de dança que enfrentava problemas financeiros e via numa competição a chance de se reerguer.

Cena de "Xuxa Requebra" onde "Efeito Dominó" serve de trilha sonora

Além do número no filme, a faixa chegou a ser apresentada no Planeta Xuxa várias vezes. Já no Park costumava tocar de fundo durante alguma brincadeira, evidenciando que o foco realmente era o público jovem.





✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Primeira música apresentada ao público, já na estreia da temporada 1999 do Planeta Xuxa. Composta pelos funkeiros Sandro Mora Mau e Formiga, “Vira Vira” é praticamente a saudação da loira ao público do programa. Letra fácil e grudenta com a característica batida do funk anos 90 e samples! Logo de início já são dois: o grito “atencióóóónn” e a introdução de “O Guarani”.

Atención” originalmente faz parte da música “Amokk” – sucesso disco trance europeu – lançada no disco “Paradoxx” no ano de 1998. No Brasil a faixa fez relativo sucesso, mas, mesmo assim,  o disco não foi lançado aqui.


O sample de “O Guarani”, ópera de Carlos Gomes, aparece logo em seguida. Talvez você não ligue o nome à música, mas a gente tem certeza que você já ouviu o jornal de rádio “A Voz do Brasil”. Então... aquela introdução musical é “O Guarani”.

Redondinho virado nos samples: do eurodance à "Voz do Brasil"


E o que isso tudo tem a ver com a Xuxa? Bem, a ideia era fazer uma brincadeira tipo “A Voz do Planeta”, pois logo depois a loira canta os versos que são a ordem do planeta: “nosso lema é curtir e liberar geral”!

Do Planeta para a TV: Vira-Vira foi apresentada num dos primeiros TV Xuxa em 2005, mas o mais curioso é que era essa faixa a utilizada nas chamadas de estreia do programa. Depois, foi cantada novamente no TV Xuxa nas semanas de ano novo de 2005 e 2006.




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Se a loira já foi de pagode, lambaeróbica e country, por que não um rap? MC Xu na área! Renata Arruda emplaca sua terceira música consecutiva num álbum de Xuxa. Aqui a novidade fica mais para a compositora do que para a intérprete, afinal a loira já tinha se arriscado, ainda que timidamente, nesse estilo quando gravou “Sábado” (1995). Renata Arruda se firmava como cantora de MPB e já estava em seu terceiro disco e um rap infanto-juvenil era totalmente fora de seu estilo, ainda mais que dessa vez ela não contava com a parceria de Mariana Richards (como nas duas anteriores), que conhecia melhor que ninguém o universo de Xuxa.

Renata Arruda: músicas em três álbuns consecutivos da loira
(e não parou por aí, viu?)

Renata não fez feio e criou versos que falavam aquilo que Xuxa sempre defendeu: a perseverança em não desistir do que se pretende. “Se você tentou e ainda não foi, tente outra vez / não deixe pra depois / Acredite sempre, a cabeça erguida / Olhe para a frente, sempre tem saída” – os versos podem até soar genéricos, mas ao serem contextualizados na história de Xuxa, são quase uma releitura rap de Lua de Cristal; mesmo assim a faixa não chegou a ser apresentada nos programas da loira.

Curiosidade: Em 1996, os MCs Cidinho e Doca – aqueles do “eu só quero é ser feliz...” – compuseram um outro “Rap da Xuxa”, mas que ficaria melhor intitulado “Rap pra Xuxa”, pois é uma homenagem à loira e fala de seu sucesso como apresentadora de TV.







✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Michael Sullivan e Dudu Falcão são os responsáveis pela única baladinha do disco e geralmente esse tipo de música é sobre o amor. Nesse caso, literalmente! “Só o nosso Amor” fala do amor como forma universal de se mudar o mundo, não importando se é entre um casal, entre pais e filhos, amigos: “o amor pode mudar você a qualquer momento”.

Jorge Luiz Brasil, na matéria que já comentamos aqui, diz que a música é feita especialmente para Sasha e, mais uma vez, temos uma interpretação diferente: por mais que a letra retrate coisas inerentes ao amor maternal (só o amor mais natural, um amor universal), a letra é bem mais abrangente (união, humildade / paz na humanidade).



Tão abrangente que a música serviu de tema para a personagem de Xuxa no filme “Requebra” – a jornalista Nena, que nem filhos tinha.

Uma das cenas mais bonitas de "Xuxa Requebra" mostra Nena (Xuxa) fazendo movimentos de dança ao som de "Só o Nosso Amor"


E tem mais: no Xuxa Park, a faixa se tornou o tema da “marquinha” no encerramento do programa, quando Xuxa escolhia uma criança para presenteá-la com seu beijinho.

Curiosidades
#1: o solo de saxofone no meio da música é de Zé Canuto, instrumentista consagrado na MPB e que tem no currículo trabalhos com Gal Costa, Rita Lee, Daniela Mercury, Caetano Veloso, Chico Buarque, Titãs,  Lulu Santos, Gilberto Gil e uma lista que vai de A a Z. O X a gente agora já sabe quem é, não é mesmo?

#2: A faixa fez parte do álbum “Mulheres Unidas Pela Prevenção do Câncer de Mama”, lançado em 2006 numa parceria da Avon e do Hospital de Câncer de Barretos (hoje chamado Hospital do Amor).

"Só o Nosso Amor": sete anos depois de seu lançamento, a faixa foi escolhida para o CD da campanha de prevenção ao câncer de mama. Faz sentido! Se prevenir é ter amor próprio...




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️



São três músicas em uma para festejar o aniversário de todo mundo. Em “Primeiro Aniversário”, Sullivan tenta repetir com Dudu Falcão o êxito de “Parabéns da Xuxa” – sua parceria com Paulo Massadas. A ideia é boa, mas o tema limita bastante a utilização nas festinhas: por mais que a maior parte dos versos se aplique a qualquer aniversário, o início é bem específico: “Hoje é seu primeiro aniversário, hoje é seu primeiro parabéns”...

Essa sim é uma música para Sasha! A baixinha da Rainha estava para completar um ano quando a música foi gravada (início de julho) e o jornal Extra chegou a descrevê-la como “a música da festa de Sasha”, mas ressalta que ela também servirá como música tema de um dos momentos do Xuxa Park: aquele em que Xuxa apresentava os aniversariantes da semana.

Matéria publicada no jornal Extra (RJ) em 07/07/1999
(Fotos ilustrativas)

A própria Xuxa chegou a fazer uma ressalva em alguns programas, logo após cantar a introdução: “Baixinho, é seu primeiro aniversário aqui no Xuxa Park, né?” no caso da criança já ser maior que um ano. Do contrário, as fotos das crianças de um ano eram estrategicamente colocadas antes para que a música não destoasse.

O tradicional “Parabéns Pra Você” e o “Parabéns da Xuxa” se juntam ao final da música formando um medley. Como dissemos, é para todo mundo: de 1 a 100 e contando...




✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


Como numa contagem regressiva, o tema do disco chega com ares de festa no final de tudo. Álvaro Socci e Cláudio Matta estavam inspirados – e confiantes – sobre o não-fim do mundo (desculpe, Nostradamus...): “Chegou! O mundo não acabou, sou eu que vou me acabar...

Tanto o instrumental como partes da letra lembram bastante as típicas músicas de Copa do Mundo: “vem cá, me aperta contra teu peito / somos campeões dessa corrida contra o tempo / somos 6 bilhões de corações que esperam pra te abraçar

A faixa foi a única do disco a ganhar um clipe COMPLETO em 1999 e que foi especialmente exibido na contagem regressiva da Rede Globo na madrugada do dia 31/12 para 01/01. Quem estava na festa ou dormindo e não assistiu, não saiu perdendo; o clipe foi reexibido no primeiro Planeta Xuxa de 2000. O vídeo foi gravado no cenário do Planeta Xuxa, mas contou também com o elenco do Xuxa Park.

O clipe de "2000" foi exibido na virada de 99 para 2000 na TV Globo e reapresentado no primeiro programa Planeta Xuxa do novo ano


Curiosidade: Você já se deu conta que no final da música temos uma contagem regressiva e não é na voz da Xuxa? Ah, nem precisa olhar o encarte do CD pois não há o nome da dona dos vocais. Sabem quem é? A cantora e atriz Livia Dabarian, que na época integrava o grupo OxGênios.

✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️2️0️0️0️✖️


🤷 Faixa não lançada
Assim como seu antecessor (Só Faltava Você), Xuxa 2000 também teve música divulgada que acabou de fora da seleção final. Pelo menos uma, pelo que se sabe... “O Canto dos Bichinhos” chegou a ser bastante tocada no Xuxa Park durante as brincadeiras no início de julho alternando com Pagoxu e Festinha. Porém, já em agosto a música parou de tocar e nunca mais se ouviu falar dela...

Confira um pouquinho da faixa que nãosobreviveu ao 2000”:



🤷 Saiu, mas não era para o "2000"
Muitos fãs da loira acreditam que "Aquarius (Xuxa Park)" - música que passou ser tema da chegada da loira no programa a partir de outubro de 1999 - se tratava de uma "sobra" do repertório do disco que depois resolveram utilizar no programa. Nada disso...

"Aquarius" realmente foi feita exclusivamente para a nova fase do programa, tanto que seu nome alternativo é "Xuxa Park". A atração havia passado por uma reformulação de cenário, abertura e elenco, nada mais justo - e previsível - que uma nova música.



Se você quiser saber mais de "Aquarius", acesse: Aquarius (Xuxa Park) - a música



💿 Lançamento e divulgação
O disco foi lançado somente em CD

Lançado em formato único (CD), Xuxa 2000 apresenta um dos projetos gráficos mais bonitos de toda a carreira fonográfica da loira

Em compensação o encarte foi super caprichado, talvez o melhor de sua discografia até então.O projeto gráfico é da própria Xuxa e de Reinaldo Waisman (o pai do Moderninho, estão lembrados?).  Eles criaram uma espécie de caderninho/agenda onde as letras das músicas dividem espaço com fotos da loira e desenhos feitos a mão. Um scrapbook antes de virar moda, basicamente.


Um caderninho/agenda trazia todas as letras das músicas, agradando aos baixinhos e aos adolescentes


Outra novidade estava na caixinha de acrílico do CD... Desde 1997, os discos no Brasil vinham com um selinho holográfico coma sigla FLAPF (Federação Latino-Americana de Produtores de Fonogramas e Videofonogramas). O selinho foi uma tentativa de informar aos autores a quantidade de discos produzidos pelas gravadoras, pois os discos não eram numerados. Acontece que a estratégia foi eficaz por pouco tempo, os selos começaram a ser pirateados também. A Som Livre (SIGLA) deu seu jeito de dificultar a pirataria incluindo na caixinha do Xuxa 2000 um novo selinho com o autógrafo e o clássico beijinho da loira. Era unir o útil ao agradável, pois o holograma casava perfeitamente com o visual futurista da capa.

Charme a parte: o selo holográfico criado pela Som Livre para ser mais uma alternativa contra a pirataria de CDs 


Falando na capa, ela também teve novidade: o logotipo também vinha com impressão metalizada furta-cor (tecnicamente falando, hot stamping). Na contracapa o nome das músicas também recebeu a aplicação; mais um dificultador para a pirataria.

Pela primeira vez um disco de Xuxa recebia um acabamento de primeira linha na sua apresentação

Para divulgar o disco, um anúncio impresso passou a ser veiculado em algumas revistas da Editora Globo, além de destaque nas páginas da SomLivre Magazine (publicação oficial da gravadora distribuída aos clientes do site somlivre.com).

Anúncio veiculado nas revistas da Editora Globo no mês de novembro de 1999


Nas páginas da SomLivre.com Magazine, o disco também ganhou destaque, mas com algumas falhas: as músicas não eram somente do Xuxa Park e o nome da faixa de abertura é Profecias e não "Profecia"
(Poxa, a própria gravadora dando uma escorregada dessas 😕)

Mais uma vez, a divulgação do disco ficou prejudicada nas revistas semanais de entretenimento por conta de todo o interesse da mídia no 1º aniversário de Sasha (no ano anterior era o nascimento). Não fazia nem 3 meses que Xuxa havia monopolizado as capas e manchetes das publicações e, além disso, a imprensa ainda preferia falar sobre a pequena a qualquer projeto novo da loira.


🗺️ Turnê Xuxa 2000
Já que o disco “Só Faltava Você” não teve turnê, a expectativa para o Xuxa 2000 era grande, ainda mais depois que a revista Chiques & Famosos publicou:

(...) A partir de setembro, ela (Xuxa) dá a partida para o lançamento de seu novo CD, o que implica viagens, nova turnê de shows, somando um total de 13 apresentações até o fim do ano
(Chiques & Famosos nº 17, de 27/08/1999)

Mas Xuxa estava envolvida com sua volta às telas do cinema, gravando “Xuxa Requebra” e com diversos outros compromissos que incluíam o lançamento de produtos da linha Turma da Xuxinha, gravações do Park e Planeta e, claro, cuidar de Sasha; com isso a “suposta” turnê foi cancelada.

Mas o disco não passou em branco: a Rede Globo contratou um show exclusivo de Xuxa para o filhos de seus funcionários no Projac.




A apresentação aconteceu no dia 31/10/1999 e músicas do Xuxa 2000 integraram o set list, entre elas: Profecias, O Elefante Feliz e Pagoxu.

Junto &Misturado: o show teve de tudo: nave do "Xou", cenário da turnê de 1992; figurino das Paquitas do Criança Esperança (1999), convidados e, claro, músicas do Xuxa 2000.


🎥 Clipe "Profecias"
No dia seguinte ao show, a loira já tinha mais trabalho. Lembram que falamos da estratégia da Globo em fazer 14 aberturas diferentes para a novela Vila Madalena que estava para estrear?

Xuxa gravou no dia 1/11, o clipe de Profecias sob a direção de José Henrique Fonseca, famoso por seu trabalho na direção de clipes musicais dos mais variados artistas brasileiros.

O clipe foi rodado no estúdio Trinta Filmes, zona oeste do Rio. Xuxa chegou no estúdio às 11h e gravou até às 19h. Tudo isso para resultar em 1 minuto, duração final do vídeo. A loira usou dois figurinos, mas a novidade ficou mesmo pela peruca de cabelos ruivos encaracolados.

Todo o vídeo foi feito através do sistema chroma-key, ou seja, na frente de um fundo verde onde depois foram inseridos os grafismos e imagens do roteiro.


Xuxa gravando o clipe para a abertura da novela "Vila Madalena" (TV Globo)


“O resultado ficou maravilhoso! Minha equipe tem muita experiência e já trabalhou com quase todo mundo. Mas faltava a Xuxa. Por isso aceitamos fazer esse clipe. Ela me surpreendeu, tem um profissionalismo enorme e uma eletricidade contagiante”
José Henrique Fonseca – Declarações à Contigo! De 09/11/1999

Pois é, resultado maravilhoso mesmo! Sem dúvida um dos vídeos mais bem produzidos da videografia da loira. Felizmente a versão sem os créditos foi apresentada no 1º Xuxa Park do ano 2000.

O clipe exibido no "Xuxa Park" tinha o logotipo da novela, mas não os créditos que atrapalhavam a visualização das cenas 🙏



Curiosidade: embora nada tenha sido divulgado oficialmente pela equipe de José Henrique Fonseca, é impossível não se lembrar do vídeo clipe de Ray of Light, lançado por Madonna em 1998, seja pelo figurino e cabelos ou pelos recursos de se acelerar a imagem para dar um ar de passagem de tempo frenética.

Profecia esquecida de Nostradamus revela: no ano do fim do mundo, um raio de luz iluminará o lugar chamado Vila Madalena, quando o reino do pop encontrar o reino das crianças




📸 Fotos mil para o Xuxa 2000
Todos os ensaios do encarte foram feitos por André Schiliró e a grande maioria já havia sido divulgada ao longo do ano, o que, de certa forma, frustrou um pouco as expectativas de quem esperava algo inédito. Mas é importante lembrar que essa divulgação aconteceu numa época que não havia Instagram e a internet ainda não tinha nem metade do alcance que conhecemos. Ou seja, não era abrir uma tela e ver a mesma foto replicada 2000 vezes como acontece hoje. Para conhecer tudo a pessoa tinha que ser um “rato de banca”.

Outtakes dos ensaios do encarte já apareciam em revistas desde março de 1999


Já o ensaio da capa do Xuxa 2000 tinha sido utilizado na contracapa do disco “El Mundo és de Los Dos”, lançado em maio daquele ano em toda América Latina. E a roupa utilizada também foi usada por Xuxa em sua apresentação no programa VideoMatch da TV Argentina, em abril.


O figurino e até o ensaio que serviu de capa já tinham sido divulgados previamente


O ensaio do inlay (bandeja) do CD ficou mais famoso em 2001, quando a loira lançou seu primeiro livro de fotos: Xuxa (Editora Artemeios)

Variações do ensaio também foram divulgadas mesmo antes do lançamento do álbum


O mesmo ensaio também ilustrava o site oficial da loira no ano de 1999, bem antes do disco sair.

Home do site oficial em agosto de 1999



🏅 Vendagem
O disco recebeu a Certificação de Ouro concedida pela ABPD – Associação Brasileira do Produtores de Disco – equivalente a 100 mil cópias vendidas.



Os números já começavam a refletir o fato dos últimos discos Xuxa não terem um público-alvo exatamente definido. O repertório se dividia entre algumas faixas bem infantis e outras mais puxadas para o pop adolescente. Os mais crescidos não se interessavam pelas faixas infantis; já os menorzinhos só tinham o Xuxa Park como referência, o que era pouco para a divulgação do CD, até porque Xuxa cantava muitas músicas de outros discos.

Xuxa já sentia isso e mal tinha lançado o Xuxa 2000, já pensava mais a frente: o XSPB já era realidade nos desejos da loira, como se comprova em entrevista ao jornal O Globo de 12/12/1999:



Por mais que uma grande parcela de fãs dos anos 80 e início dos anos 90 tenha torcido o nariz para o novo caminho fonográfico escolhido por Xuxa, ela sabia que era preciso se reinventar e foi graças a sua coragem de sair da zona de conforto que ela voltou a alcançar a casa do milhão na venda de discos (só o XSPB 1 vendeu mais que os todos os discos de Xuxa entre 1995 e 1999).

➡️ Curiosidades
🤔 Paquitas: No encarte vemos que as Paquitas são creditadas no coro de quase todas as músicas; mas quais? As "New Generation" ou as  "2000"? Ou ambas? Os vocais são da NG, pois quando o disco foi gravado as novatas ainda estavam se preparando para assumir as tarefas.

☹️ Sem revival: "Xuxa 2000", infelizmente, é o único álbum de inéditas a partir da contratação pela Som Livre que não teve/tem nenhuma música na set list do "XuChá" / "Xuxa Xou". Tá em tempo ainda, produção!

😭 Sem streaming: até hoje o disco está fora das plataformas digitais (assim como o "Tô de Bem com a Vida" - 1996).



🤟 Vamos ver o mundo pelos olhos de uma criança...
Assim como o ano 2000 encerrou o segundo milênio, “Xuxa 2000” encerrou a segunda era da carreira fonográfica de Xuxa: a era pós “Xou da Xuxa”. Foram 5 anos (1994-1999) de discos bem produzidos, novos hits, novos compositores e a difícil tarefa de administrar dois públicos com interesses distintos, ainda que com uma paixão em comum.
Xuxa 2000 cumpriu seu papel: deu à Xuxa a maturidade de se arriscar em algo novo, abrindo mão do que era previsível e cômodo. Ela sempre quis ousar, inovar, recomeçar e aprender. Ela seguiu a profecia, não a de Nostradamus, mas a de sua própria música: “Preste atenção no seu coração”... E no coração da loira os 4 números (2000) já davam lugar às 4 letras (XSPB)!

Sem dúvida, ela mostrou porque é campeã “nessa corrida contra o tempo”!



Comentários
8 Comentários

8 comentários:

Johnny Santana disse...

Aff, vcs arrasam sempre!!! ❤️

Brites disse...

Xuper Blog... Muito boa a matériaaaa.
Só gostaria de acrescentar algo. A ex paquita Daiane Amêndola disse que elas tiveram uma participação no Xuxa 2000. Parece que foi só em 1 música, mas ela não lembra qual era.

Unknown disse...

Muito bom gente! Parabéns...

Lucas C.C. disse...

Emocionante!
Muito obrigado por esse especial!

Diego Suede disse...

Matéria perfeita!! Parabéns a equipe pela pesquisa!😍👏🏻👏🏻💜

Jonas disse...

Perfeito o trabalho de vocês, parabéns! Esse é meu álbum preferido e fico muito indignado em ser um dos únicos a não estar nas plataformas de streaming. Uma dica que dou é que todos os fãs mandem e-mail para a XP (xs@xsproducoes.com) e peça o álbum (junto com o Tô de Bem Com a Vida, que também está de fora das plataformas) no Spotify e demais plataformas.

Fábio disse...

Alguém sabe pq esses álbuns citados na matéria não estão disponíveis nós serviços de streaming?

LEONARDODALSTRIN disse...

Eu me lembro tanto desse disco. As músicas. Essas fotos. Eu pegava emprestado com minha vizinha porque a gente não tinha dinheiro pra comprar. Também pegava o Boas Notícia, To de Bem Com a Vida e o XSPB1. Lembro que eles tinha do Luz no Meu Caminho em LP. Mas meu preferido era o Xuxa 2000. Uma vez fui com minha mãe numa loja comprar um piratão do XSPB1, mas já estava esgotado. Acabei trazendo o da Eliana kkkk. Na época do Xuxa Park, quando o programa acabava eu ia pro quintal esperar um helicóptero rosa - não sei de onde tirei que a Xuxa tinha um. Em 2001, quando eu tinha 5 anos, passei em frente a mansão da Xuxa voltando da casa do meu avô, que vi pela primeira e única vez. Eu ficava deitado no sofá de olhos fechados me imaginando em 'A Festinha' naquela mansão. Na época do Mundo da Imaginação meu pai foi embora. Meu irmãos estudavam de manhã e minha mãe trabalhava. A minha companhia era a Xuxa, só por causa dela não me sentia tão sozinho. Batia altos papo com as capas dos LPs da Xuxa que eu tinha. Era minha única amiga. Em 2012 pude pegar na mão dela. Nossa! Que cheiro maravilhoso que ela tem! Cheguei em casa e o cheiro ainda estava na minha mão. Depois a vi mais duas vezes em shows do Criança Esperança e uma vez eu vi a Sasha no mercado que eu trabalhava. Essa mulher faz parte da minha vida de um modo tão forte que não desapego dela! Hoje com 23 anos permaneço fascinado pela figura dela.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...