sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Dancing Brasil 5 - Ep. 10 || Semifinal || (04/09/2019)

O expresso “Dancing Brasil” já está quase chegando a sua estação final. Nessa semana acompanhamos toda a emoção da semifinal que pareceu ser um “prepara coração” para a semana que vem. Os quatro casais semifinalistas foram também os que melhor obtiveram notas ao longo da temporada, mostrando que a questão do “voto porque gosto de fulano” deu lugar ao “voto porque fulano merece”. Não é à toa que já há alguns episódios os jurados afirmam: “é a temporada mais equilibrada até hoje!




😮Abertura
Um VT com a expectativa dos quatro casais para aquela etapa abriu a noite, mas foi no palco que pudemos sentir o quão estavam à flor da pele as emoções. Com total foco nos bailarinos, especialmente os semifinalistas – o número trouxe a dramaticidade que a canção “What Is Love” – hit dance do início dos anos 90 – exige e que, por muitos anos, passou despercebida na empolgada interpretação original de Haddaway.

Xuxa não dançou, mas não deixou de aproveitar os adereços de iluminação no palco para fazer sua entrada de forma tão cativante quanto o número. Boa sacada, hein, produção?


Carol, Bruna, Marquinhos e Paulo Victor deram um show não só nos passos – o que já é regra – mas também na encenação do que a letra sugere. Um daqueles números que você sente vontade de ver, rever e rever...



🔳Preto no Branco

Para não deixar dúvida nenhuma do quanto nossa Dancing Queen está cada dia mais lindona, vamos pôr o preto no branco. Olha só a criação de Marcelo Cavalcante que Michelly X trouxe à vida para ser o penúltimo figurino desta temporada:

A Dancing Queen vestindo a criação de Txiello executada por Michelly X
Foto: Blad Meneghel



🤔Dinâmica da semifinal      
Como já era de se esperar, a semifinal sempre traz uma dinâmica diferente para a competição. Se na temporada anterior havia apresentação e eliminação em dose dupla, nessa somente a apresentação foi assim. Lembrando isso só aconteceu devido a saída inesperada da dupla MC Koringa & Bella ou teríamos 5 casais na disputa ainda e dois teriam que se despedir para chegarmos aos três finalistas.

As apresentações foram divididas em Ritmos Latinos e Ritmos Standard (os mais tradicionais da dança de salão). Cada casal dançou exatamente os dois ritmos que faltavam para completar os dez ritmos oficiais do programa (Valsa, Tango, Quickstep, Paso Doble, Jive, Salsa, Foxtrote, Samba, Cha Cha Cha e Rumba)

Os casais semifinalistas em noite de dupla apresentação: ritmos latinos e ritmos standard (os clássicos da dança de salão)
Fotos: Blad Meneghel



🔟Dois para DEZ em busca do 10!

Do samba para a valsa
Victor Sarro & Bruna Bays encararam o ritmo mais brasileiro logo na abertura e fizeram bonito! Por alguns momentos parecia que o clássico “Devagar, Devagarinho” de Martinho da Vila tinha sido feito especialmente para a apresentação dos dois. Alegria contagiante que rendeu duas notas 10. Jaime não se convenceu e deu “nove”. Poxa, Jaime, o rapaz apertou até o “i” do umbigo... Já para a rodada standard, o casal veio menos elétrico e apresentou uma valsa “da Disney” – como disse Xuxa.

Até o tombo do Victor mereceu nota DEZ
(foi encenação, viu, gente?)



Da salsa ao foxtrote 
Bia Feres & Paulo Victor começaram frenéticos dançando ao som da conga de Gloria Estefan e ganharam aplausos de pé da plateia, mas o que todo mundo viu, os jurados quaaase viram. Jaime e Paulo Goulart sentiram falta de “algo a mais” e se justificaram que por ser uma semifinal, isso era decisivo. Na segunda rodada, o ritmo foi o foxtrote e parece que dessa vez o "algo mais" apareceu, foram duas notas DEZ.

Bia & Paulo Victor: aplaudidos de pé pela plateia

Do jive ao quickstep
D’Black & Carol Dias tiveram uma noite de passos rápidos literalmente, pois os dois ritmos que faltavam eram o jive e o quickstep. Pergunta chave da noite: Jaime viu jive? Viu! E todo mundo que estava lá também! TRIPLO DEZ sem cerimônia. Na hora do quickstep, a música era “Sing Sing Sing”, mas devia ser “Dance Dance Dance” porque os dois deram outro show. Xuxa perguntou se tinha cheiro de “Dez” aos jurados, que corresponderam, exceto Paulo Goulart que, talvez, estivesse meio gripado, com nariz entupido e não sentiu o mesmo cheirinho...


D'Black & Carol: ritmos rápidos que garantiram a largada na frente para a grande final (lembrando que a dupla chega invicta ao último programa: nenhuma zona de risco)


Do samba ao foxtrote
Dany Hypólito & Marquinhos fecharam as duas rodadas. Na primeira parte, o samba – especialidade de Marquinhos – foi protagonizado por Dany que recebeu todo o suporte do partner, que se colocou em segundo plano para que a moça brilhasse, mas os jurados não deixaram isso passar em branco e fizeram jus ao profissional. Na hora do foxtrote, os dois eram um só e a cumplicidade foi tamanha que despertou em Jaime a vontade de falar sobre a importância do papel da dança na harmonia das coisas. O jurado finalizou agradecendo ao casal aquele momento. Triplo DEZ e maior nota do público na noite (8,8). Tinha como ser diferente? 

Dany & Marquinhos: foxtrote que inspirou Jaime e garantiu a melhor nota da noite (público e jurados)





🤞Última zona de risco
Como no último programa não há notas dos jurados – e nem do público – e a votação somente escolhe os 3 primeiros lugares, não há eliminação. Assim a zona de risco dessa semana foi a última. Com quatro casais e sendo que as três menores notas vão obrigatoriamente para a disputa da preferência, só D’Black & Carol puderam comemorar de antemão.



A votação pela preferência – acirrada – entre os três casais refletiu as notas do placar e Victor Sarro & Bruna Bays deixaram a competição. Os dois chegaram até aqui não foi à toa, mas não tem como deixar de parabenizar o profissionalismo de Bruna. Assim como aconteceu com o parceiro Amaral (temporada 4), ela, mais uma vez, resultados inesperados, levando seus parceiros à reta final. Quem diria que Victor chegaria numa semifinal vendo as primeiras apresentações do rapaz? Bruna, sem dúvida, merece ser campeã de alguma temporada! Vem logo, Dancing Brasil 6!





🎼 Músicas
A banda do Dancing Brasil tocou todas as músicas ao vivo. Os vocais foram de Ronald Salles, Talita Real, e a estreante – e vencedora do Canta Brasil (RecordTV) - . Olha só como esse pessoal canta de tudo MESMO:
Abertura: What Is Love? [Kiesza / Haddaway] (2014/1992)

1ª Rodada: Ritmos Latinos         
1. Victor Sarro & Bruna Bays Devagar, Devagarinho [Martinho da Vila] (1995)
Ritmo: Samba
Nota: 29 + 8,5 = 37,5

2. Bia Feres & Paulo Victor Conga [Gloria Estefan and Miami Sound Machine] (1985)
Ritmo: Salsa
Nota: 28 + 8,7 = 36,7

3. Vinícius D’Black & Carol Dias Proud Mary [Tina Turner & Ike] (1971)
Ritmo: Jive
Nota: 30 + 8,5 = 38,5

4. Dany Hypólito & Marquinhos The Blues Walk/Deixa Isso Pra Lá  [Clifford Brown / Jair Rodrigues] (1955/1974)
Ritmo: Samba
Nota: 27 + 8,7 = 35,7


2ª Rodada: Ritmos Standart
1. Victor Sarro & Bruna Bays Fall On Me [Andrea Bocelli and Matteo Bocelli] (1995)
Ritmo: Valsa
Nota: 27 + 8,2 = 35,2 (72,7)

2. Bia Feres & Paulo Victor The Lady is a Tramp [Tony Bennet & Lady Gaga] (2014)
Ritmo: Foxtrote
Nota: 29 + 8,6 = 37,6 (74,3)

3. Vinícius D’Black & Carol Dias Sing Sing Sing [Benny Goodman] (1937)
Ritmo: Quickstep
Nota: 29 + 8,6 = 37,6 (76,1)

4. Dany Hypólito & Marquinhos I Want That Way  [70's Soul Backstreet Boys Cover ft. Shoshana Bean] (2015)
Ritmo: Foxtrote
Nota: 30 + 8,8 = 38,8 (74,5)

Encerramento: Sweet Dreams [Eurythmics] (1983)


Estrelas e bailarinos fizeram um número de encerramento inspirado num tabuleiro de xadrez. Quem dará o xeque-mate?


🏆Final 
A grande final acontece na próxima quarta-feira. Quem vai levar o disputado prêmio de 500 mil reais e um carro 0 km para o profissional da dupla? Façam suas apostas: Dany & Marquinhos; Bia & Paulo Victor ou D’Black & Carol?

Qual dupla será a dona dessa troféu na próxima quarta?


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...