sábado, 27 de março de 2021

Xuxa 58 - Histórias, Memórias e Glórias


O aniversário é HOJE, mas todo dia é dia de contar alguma história dessa pessoa que venceu preconceitos, conquistou corações, mudou padrões e ficou na memória de gerações. Tudo que se fale de Xuxa ainda será pouco, não cabe num livro, num filme ou numa série. Sempre haverá um pouquinho mais para saber e se apaixonar por essa menina que veio de Santa Rosa para o mundo...


Registro da última edição do quadro
"Quero Passar Um Dia com a Xuxa" (1989)

Foto de Luizinho Coruja


Aos 15 anos, Xuxa fazia suas aulas de ginástica olímpica na UERJ, numa tarde ela foi seguida quando voltava pra casa...

"Um cara me seguiu, quando saí da ginástica com minha irmã, Mara. Ele levava revistas embaixo do braço. Sempre fui tarada por revistas e fiquei olhando. Minha irmã, tão protetora como minha mãe, achou que era paquera. Depois soube que o cara se chamava Waltinho e trabalhava no arquivo cor da Manchete. Ele me seguiu até em casa, tomou coragem e bateu na porta. Mostrou a identidade para minha mãe e disse que na Manchete estavam procurando modelos. Sua função não era essa, mas achou que gostariam de mim. Mãe lhe deu uma foto minha, aos 13 anos, no carnaval em Coroa Grande. Não tenho muitas fotos, pois nunca gostei de fotografia por causa dos meus dentões, bochechas e sardasDois dias depois, na saída da ginástica, me telefonaram da revista Carinho. Perguntaram se eu queria fotografar. Decidi tentar. Será sem maquiagem. Em casa, a família se reuniu, fez restrições. Disse que esse trabalho não é bem visto. Mas estou começando a querer..."

A arte imita a vida... Um dos ensaios que Xuxa fez para a revista "Carinho", antes de sua primeira capa, em 1979, tinha fotos inspiradas em ginástica olímpica. A locação foi a Escola de Educação Física do Exército no Rio
Foto de Alexandre Cavalcanti (Bloch Editores)


"Uma vez quando eu quis ser modelo aos 16 anos, fizeram uma reunião familiar e meu cunhado disse para minha mãe: "Dona Alda, nesse mundo tem muita droga e prostituição, não deixe sua filha entrar nisso, ela pode até engravidar. É muito ingênua...

Então minha mãe respondeu: "Se ela se drogar, eu cuido dela. Se ela se prostituir, não deixarei de estar ao lado dela. Se ela engravidar, eu cuido do bebê dela. Mas nada disso vai acontecer porque eu sei a filha que eu tenho."

Sempre que me ofereciam bebida, maconha e outras coisas, eu me lembrava que não deveria decepcionar a minha mãe."

Dona Alda e Xuxa no jantar que reuniu a família Meneghel e fez parte do encerramento do especial de Natal da loira, gravado em 11/12/1997
Foto de Jorge Cysne


"Fiz a capa para a Manchete com Pelé, a Luíza, Márcia Brito e uma morena de Brasília (Adeline). A matéria vai se chamar "Minha Liberdade Vale Ouro". Pelé perguntou meu nome, eu contei que tenho 17 anos e sou gaúcha. A turma combinou de ir à noite ao Canecão, assistir ao show da Elis e esticar no Régine’s. Disse para Pelé que não poderia ir, só se o pai e mãe fossem juntos, porque eu não saía sozinha. Ele disse que ligaria para o pai e ligou, mas o pai desligou o telefone quando ele disse quem era. “E aqui é a Rainha Elizabeth”, pai respondeu.

...Quando soube que era realmente o Pelé, pediu desculpas, mas só me deixou sair com meu irmão Cyrano que ficou o tempo todo no carro e não queria descer. Mãe não dormiu até que eu cheguei, às quatro da manhã.”

Além da capa da Manchete, esse ensaio também serviu como capa para a publicação argentina El Clarín em agosto de 1983
Foto de Sérgio de Souza


"Vim a Nova York por dois motivos: para descansar um pouco minha imagem e para aprender um pouco mais de fotografia e entender os lances de luz e maquiagem. Sei que muita gente me critica. Dizem que faço caras e bocas, que sou criança etc... Mas não pretendo mudar o meu estilo. Eu quero me aperfeiçoar" - contou a loira num bate papo com a jornalista Eugênia Fernandes, que trabalhava na sucursal de NY da Bloch Editores.

Esse é um dos registros da primeira viagem de Xuxa à Nova York (julho de 1981), um presente que ganhou de Pelé quando completou 18 anos
Foto de Luiz Alberto


"Foi em nossa casa que nasceu uma estrela chamada Xuxa. (...) Mas Xuxa não era só beleza. Era vontade de vencer e muita responsabilidade. (...) Senti desde o início que aquela menina estava predestinada ao sucesso. Tudo que fazia era coroado pelo êxito. Ninguém resistia a seu charme feito de correção e simplicidade.

O segredo de Xuxa é esse: ela sabe ser ela mesma e tem total consideração pelas pessoas e grande respeito pelo seu trabalho. (...) Xuxa nunca faltou a uma gravação ou sequer chegou atrasada. Um verdadeiro exemplo de profissionalismo e de pontualidade britânica.

Querida Xuxa, sempre que nos vemos, deixamos rolar algumas lágrimas. Você merece todo o sucesso e toda a felicidade. Você merece tudo que a vida pode dar porque você é Gente."

Xuxa e o sr. Adolpho Bloch no aniversário de 31 anos da loira em 1994
Foto de Sérgio de Sousa


Durante todo o período em que apresentou o "Clube da Criança" na TV Manchete, Xuxa também exerceu a função de modelo e manequim.

Convites para editoriais nunca pararam de chegar, mas é curioso ver como parte desses ensaios se adaptou ao estilo de Xuxa na TV. Já não era mais o caso de mostrar a roupa na revista e sim mostrar que era "A" Xuxa vestindo a roupa na revista.

Até mesmo as faixas de cabelo "do Clube" vieram parar nas páginas das revistas de moda... Daí para as famosas xuquinhas foi só questão de tempo, mas essa história todo mundo já sabe, né?

Xuxa posa para o catálogo de Primavera da revendedora de roupas "Mand", publicado em julho de 1984


Já em seu primeiro dia como contratada da Rede Globo; Xuxa chegou causando frisson. Nos corredores da emissora fotógrafos e "altinhos" pediam autógrafos para si e seus filhos e a loira, claro, atendeu a todos pacientemente.

"Sempre sou tratada com muito carinho e não poderia me incomodar com o reconhecimento do público. Aprendi muito nesses três anos que estou trabalhando com crianças e quero aprender muito mais. Acho lindo o jeito que as crianças me tratam." 💙

Ela também falou da nova etapa profissional: "O que me levou a decidir pela Globo foi a seriedade profissional da proposta e a possibilidade de crescer com meu programa. O que me prendia na Manchete é um carinho imenso pelo Sr. Adolpho Bloch, mas agora precisei parar de pensar com o coração e agir profissionalmente." - contou ao jornal "O Globo".

‼️E sabem o que mais aconteceu nesse dia? A gravação da entrevista para o "Jornal Hoje"! É... Aquela mesmo que você já viu inúmeros trechos reprisados no Vídeo Show e outros programas da Globo. A entrevista foi exibida quatro dias depois 😉

Nesse mesmo dia (26/02/1986) Xuxa gravou sua primeira entrevista
para o "Jornal Hoje", exibida quatro dias depois

Foto de Celso Meira


"Um dia o João Araujo, presidente da Som Livre, chegou pra mim e disse: 'Guto, contratamos uma moça que era da Manchete, a Xuxa, e a Globo vai fazer um programa infantil com ela e precisamos gravar um disco'. Respondi: "ok, e ela canta?", ao que ele respondeu "Não faço a menor ideia, ela está vindo pra te conhecer"

Eu estava no meu escritório; quando ela chegou, parecia que tinham acendido 10 mil refletores, a sala ficou toda iluminada. Uma beleza hipnótica e uma simpatia também. Pedi: "faz essa nota pra mim" e ela nada... "E essa?" Nada também. Além disso ninguém queria dar músicas para o disco pois não acreditavam nela como cantora.

Fui atrás de músicos de rock, gente do Barão Vermelho, Rita Lee, gente de peso. Eu tinha que começar assim. Ninguém acreditava que o disco fosse vender, nem eu. E daí foi ouro, platina, duplo-platina (500k), quádruplo-platina (1M), oito platinas (2M) e bateu 2,5 milhões e eu disse: "João, não dá mais pra ficar fazendo disco de platina pra Xuxa, vamos criar o 'Disco de Diamante' e assim surgiu o primeiro disco de diamante DO MUNDO."

⏪Depoimento do produtor musical @gutogracamello para a série "Os Anos 80 Estão de Volta" (Canal Viva)

Xuxa recebe Guto Graça Melo no palco do TV Xuxa exibido em 10/09/2011
Foto de Blad Meneghel


Guto exibe, orgulhoso, algumas das certificações pelas
vendas do disco "Xou da Xuxa" em novembro de 1986

Foto de Fernando Pimentel


"Uma vez Paquita, sempre Paquita!" - por diversas vezes Xuxa disse isso e ela tem razão...

Ser Paquita era o sonho de milhares de meninas entre os anos 80 e 2000. Um sonho que se tornou uma profissão, a primeira porta para seus objetivos. Profissão criada por Xuxa, que sempre fez questão de dizer o quanto se orgulha de ver suas meninas vencendo naquilo que escolheram fazer.

Afinal uma das primeiras coisas que elas aprenderam foi "que vencer é pra quem sonha e quem procura" e o melhor exemplo "vem da energia da Fada-Madrinha" que as ensinou.

Xuxa recria, nos bastidores do TV Xuxa especial de seu aniversário em 2012, a clássica pose das Paquitas ao lado de Tati, Dezza, Letícia e Catu
Foto de Blad Meneghel


A modelo é como uma atriz muda, são diversos os personagens que ela tem que interpretar sem dizer uma fala sequer.

Xuxa, desde os tempos de modelo, desempenha esse papel com facilidade. No começo a imagem mais divulgada era a de sex symbol, um "vulcão" como disse a Playboy em 1982... O engraçado era ler, depois, o relato do repórter dizendo que não viu vulcão nenhum, não escondendo a decepção de ter encontrado uma moça simples, usando camisas largas, cercada pelos familiares e que estava mais interessada em falar do amor pelos bichos do que qualquer outra coisa.

Mas a veia camaleônica, o lado "Madame X" (a famosa espiã cheia de disfarces) aflorava mesmo quando lhe davam a oportunidade de "não ser Xuxa" e a loira se reinventava fazendo a gente repetir aqueles versos de Caetano: "rapte-me, camaleoa, adapte-me ao seu 'ne me quitte pas' "

Xuxa se diverte com a peruca de vedete dos anos 60 durante o ensaio "Madame X" para a revista Elle, em outubro de 1990. O fotógrafo, Paulo Vainer, garantiu sua primeira capa na Elle brasileira justamente com esse ensaio


Depois de conquistar a América Latina, Xuxa deu mais um grande passo em sua carreira: e no domingo, 15/03/1992, no horário nobre da TV espanhola, estreou o "Xuxa Park" pela Tele5.

A aposta era grande e o resultado maior ainda! Claro, Xuxa não era desconhecida; ela já havia apresentado um especial de TV no natal de 1991 e aparecido em alguns programas divulgando seu disco. Mesmo assim o share da audiência surpreendeu até o diretor da emissora.

‼A audiência da estreia foi tamanha que decidiram reprisar o programa na quinta-feira seguinte e surpresa! A audiência da reprise foi ainda maior, o equivalente a 50% dos aparelhos ligados em toda a Espanha.

"Xuxa Park", ao contrário do "Show de Xuxa", não era considerado um infantil e sim um programa pra família. Uma mistura de musicais, gincanas, atrações no "Teatro de Xuxa" (nome dado ao cenário). O famoso ratinho Topo Gigio tinha participação fixa no quadro em que conversava com a loira.

Nos bastidores do "Xuxa Park" na Espanha (1992)


Gravação do "Xuxa Park" com o ratinho Topo Gigio
Fotos: Divulgação Tele5


Estrear um programa inteiramente falado em inglês foi um dos grandes desafios de Xuxa, mas ela não se intimidou. Mudou-se para Los Angeles no início de1993 e passou a estudar inglês na famosa "Berlitz School of Los Angeles". Eram 8h de aula diariamente, ministradas por três professores.

"Podem não acreditar, mas desde o dia que cheguei - e lá se vão dois meses - não pude sair para fazer compras. Meus horários são controlados. Cumpro meu objetivo: estudo e trabalho; só aos domingos posso sair para andar pela cidade.

Aqui estou sozinha, vivo sozinha e não estou acostumada a isso. Sei que esse tempo é para aprender. E quero aprender o idioma e os costumes das pessoas, mas não vou mentir: aqui dentro, sinto um grande vazio. Por outro lado sei que minha vida está mudando, que estou amadurecendo. E não estou falando só profissionalmente, também meu corpo, meu coração."

Xuxa e Janet, uma das professoras que a esperavam todas
as manhãs na Berlitz School of Los Angeles, em 1993

Foto de C. Casco (Editora Perfil)


Já ouviram falar do Grauman’s Chinese Theatre (Teatro Chinês), em Hollywood, onde acontecem as estreias mundiais de muitos filmes e sua calçada que eterniza mãos e pés de artistas?

Em Orlando, existe uma réplica dentro da Disneyworld que é tão famosa quanto, mas direcionada aos personagens e artistas mais famosos da Disney. Já sabem quem também ganhou um registro lá mesmo sem ser "da Disney"? A Rainha, claro! Xuxa deixou sua marca bem ao lado da de Mickey Mouse, quando foi homenageada no dia da estreia de seu programa americano, em 1993 🇺🇲

"É a primeira vez que uma apresentadora infantil sul americana é homenageada na Disney por sua simpatia e sucesso. Xuxa tem um carisma especial. É uma energia mágica!" _ afirmou o então diretor publicitário da Disney, sr. Carlos González.

Xuxa deixa sua marca na calçada do "Teatro Chinês" da Disney. Primeira apresentadora sul americana a conseguir esse destaque (13/09/1993)
Foto de Xicão Jones


Em 1996, o caderno "Ela" do jornal "O Globo" elegeu Xuxa, Luiza e Zezé como as integrantes da "Brasileiríssima Trindade" (título da matéria), representando a diversidade da mulher brasileira. A escolha das três foi feita pelo cantor Hebert Vianna, que havia lançado a música "Lourinha Bombril" (Paralamas do Sucesso). A composição fala da biodiversidade nacional, tendo a mulher como sua principal representante.

🎬 Pra quem gosta de bastidores, olha essa descrição: "Xuxa amargava uma forte gripe, mas gostou da ideia de se juntar às outras. Zezé também amargava uma gripe, mais a perspectiva de acordar às 5:30h, na madrugada seguinte para gravar a novela "Xica da Silva". Luiza, por sua vez, recém chegada de 40 dias de férias em que não fez nada além de aprofundar sua morenice ao sol de Ibiza, era a reserva de humor da noite."

Luiza, Xuxa e Zezé: a Brasileiríssima Trindade escolhida pelo jornal O Globo para exemplificar a biodiversidade da mulher brasileira (24/08/1996)
Foto de Nana Moraes


Pense nos shows mais lotados que você já viu...Tipo o Rock in Rio 2019 que teve público de 100 mil pessoas por noite. Agora pense em Xuxa e multiplique esse público por 2,5 numa tarde de sol a pino!

Sim, 250 mil pessoas lotaram o Parque do Carmo em São Paulo/SP para ver o show da loira, que pisou no palco às 15:40h daquele domingo de setembro de 1997.

A administração do parque reconheceu que não esperava tamanho público - "A Xuxa é especial e não temos espaço suficiente para pessoas especiais.", disse o então responsável, Sr. Maurício G. Silva, que acreditava que 40 mil pessoas estariam bem acomodadas...

Uma multidão sob o comando da Rainha (28/09/1997)
Foto de Lourival Ribeiro

Visão aérea do Parque do Carmo (SP) durante o show de Xuxa
Foto de Luiz Paulo Lima/AE



Quando estava com três meses de gravidez (1998), Xuxa fez um ensaio fotográfico que, por muitos anos, ficou guardado do público, até que ela o escolheu para estar no livro "Xuxa" da Toriba em 2017.

Esse registro, curiosamente, não entrou para o livro, mas foi divulgado em 2000 pelo fotógrafo André Schiliró numa publicação direcionada a fotógrafos, mas não havia a contextualização da época em que foi tirada.

Sem dúvida, um dos mais bonitos que ela fez até hoje. E nem foi por conta de uma grande produção, pois era só ela e os lençóis. Nada de mil acessórios, maquiagens, apliques... Apenas ela vivendo os primeiros momentos de seu maior presente: ser mãe 💙

Xuxa aos três meses de gravidez
Foto André Schiliró


"A primeira vez que a ouvi dizer mamãe, nem saiu direito... Ela tinha oito meses. Foi meio "mãmã". Ela acordou, olhou pra mim e falou. Não gritei com medo de assustá-la. Só estávamos as duas no quarto. Abracei minha filha carinhosamente, a beijei e chorei de alegria. Dividi com os anjos e com Deus essa emoção única. Ser mãe, para mim, é viver num paraíso de alegrias.

Quero vê-la sorrir, fotografar todas suas gracinhas e gravar seus primeiros passos. Quero que ela veja mais tarde o quanto sou feliz por ser mãe dela 💙

Tenho tanto amor por ela que chega a doer. Vou tentar passar para minha filha o que é disciplina, uma atitude importante. Quero também que ela seja alegre como sempre fui. Respeitosa com as pessoas e com a natureza e que seja feliz, claro!"

Sasha, com 1 ano e meio, se diverte em companhia da mãe,
durante viagem ao Chile (19/02/2000)

Foto de João M. Nunes (Editora Símbolo)


Ver as três loiras que marcaram a infância de muita gente juntas é sempre divertido e a gente aproveita para relembrar a primeira vez que as três se encontraram: foi na inauguração do Hopi Hari, em Vinhedo/SP.

"Um parque de diversões foi o lugar ideal para estarmos juntas pela primeira vez, pois nosso trabalho é divertir as crianças" - disse Angélica e Xuxa arrematou: "E isso só não aconteceu antes por causa das nossas agendas." Nem precisamos dizer que essa reunião chamou mais atenção do que a inauguração em si 😄

A infãncia de uma geração resumida numa foto...
Eliana, Xuxa e Angèlica na inauguração do Hopi Hari (27/11/1999)
Foto de Laílson Santos / Ag. Imagens&Imagens


Falando em marcar a infância, o XuChá / Xuxa Xou foi o ponto de encontro das gerações que sempre acompanharam a Rainha👑 Nos shows que percorreram o Brasil entre 2016 e 2019, a loira sempre contou a história de um momento "choque de gerações":

"Eu estava fazendo as fotos antes do show e algumas eram com os personagens. Daí veio o rapaz que faz o Praga e eu disse: "vai, pega meu pé igual o Praga fazia" e ele ficou me olhando, meio sem entender. Eu falei de novo: "igual o Praga, no Xou da Xuxa!"... E ele me olha e fala: "ah, eu não sei como é... É que eu sou da geração da Bila Bilu (a elefanta do XSPB que surgiu em 2004)" 💁🏻‍♂️

Xuxa e o Praga "2.0", no Citibank Hall, em São Paulo,
segunda cidade a receber o XuChá (02/12/2016)
Foto de Blad Meneghel



E ainda falando de bastidores, o XSPB 3 tem uma história curiosa... Mas antes vamos lembrar que ele em menos de 3 meses bateu a marca de 500 mil cópias vendidas (e olha que a versão em DVD ainda não tinha saído) e ainda ganhou o Grammy Latino na categoria "melhor álbum infantil" 🏆

A curiosidade é que o último clipe a ser gravado foi justamente o de abertura, que trazia a música-tema do projeto. Porém, as duas coisas (clipe e música) entraram para a categoria "nunca vistos" da loira.

O clipe acabou limado na edição final, talvez porque seu estilo todo baseado nas discotecas dos anos 70 não tivesse nada a ver com o clima country dos demais. 🤷🏼‍♀️

Xuxa durante a gravação do clipe (não lançado),
que seria a abertura do XSPB 3 (25/02/2002)

Foto de Kiko Cabral



O mês de março traz também uma data que tem muito a ver com Xuxa:  o Dia da Mulher, que também é o dia do aniversário de Hebe. Se já não estivesse brilhando no céu, completaria 92 anos, neste ano.

Falar do carinho existente entre Xuxa e Hebe é desnecessário, pois todos sabem como elas se gostavam. Xuxa foi uma das últimas pessoas, fora da família, a vê-la antes de sua partida.

Em 2008, Hebe fez questão de estar no lançamento do XSPB 8 realizado no parque "Mundo da Xuxa" em São Paulo e cobriu a loira de carinho, chegou a dizer que nem ia dormir direito porque estava eufórica em reencontrar Xuxa.

O carinho das duas maiores apresentadoras da TV brasileira no dia do lançamento do XSPB 8, no Parque "Mundo da Xuxa", em São Paulo (12/09/2008)
Foto de Thiago Bernardes



Muito se sabe sobre as conquistas de Xuxa: recordes em discos, filmes... Poucos artistas conseguem tanto e menos ainda usam desse poder para dar voz a quem precisa. Xuxa foi também pioneira nesse aspecto.

Ela trouxe para a frente das câmeras as crianças com necessidades especiais pela Síndrome de Down, fez música, conversou de igual pra igual, colocou em seus vídeos, mostrou que eles precisam de respeito e não piedade.

"Todos deveriam se tocar e ajudar na luta pela inclusão. São pessoas que necessitam de uma atenção diferenciada, mas têm seus direitos, precisam trabalhar, e de escolas preparadas para recebê-los. Eles são apaixonantes, mesmo nas fases da adolescente e adulta não perdem a pureza, a essência da infância." ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O Dia Mundial da Síndrome de Down é comemorado em 21/03, mas Xuxa nunca precisou de um dia específico para mostrar o que defende e acredita. Ah, sabem por que o dia é comemorado nesse dia? As pessoas portadoras dessa síndrome possuem três cópias do cromossomo 21 em vez de duas 🧬🥰

Xuxa e o baixinho Vinícius Oliveira, na época com 10 anos, gravam no Bosque da Barra (RJ), o clipe "Amigo Especial", exibido no Planeta Xuxa de Dia das Mães em 2002. A gravação aconteceu no dia 30/04/2002
Foto de Cleomir Tavares (Mural da Fama)


E se a gente vai falar de amor, não tem como deixar o maridão Junno Andrade de fora... Por isso vamos relembrar o primeiro aniversário que a loira passou ao seu lado. O aniversário de 50 anos da Rainha foi comemorado em grande estilo com uma festa para 600 convidados no Hotel Unique em São Paulo/SP. O evento aconteceu dois meses após a data oficial (27/03) para que as agendas de todos os convidados possibilitassem sua presença.

Afinal, mais do que festejar o aniversário da loira, aquela era uma noite beneficente e todo o empenho deu certo: foram arrecadados 3 milhões de reais, revertidos ao Hospital do Amor (Barretos) e à Fundação Xuxa Meneghel 🙏🏻

Ah, só esse vestido lindíssimo, criação de @SamuelCirnansck , foi arrematado no leilão por 200 mil reais.


Junno e Xuxa: o primeiro aniversário juntos (28/05/2013)
Foto: Caio Guimarães


É tanta história que se a gente não para por aqui, teríamos assunto para uns 30 posts desses ou mais. O mais incrível é saber que a cada ano essas histórias se multiplicam, pois Xuxa continua se reinventando, produzindo, criando, vivendo...

        Que venham cada vez mais histórias, memórias e glórias
Foto de Brunno Rangel






quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

"Amor Estranho Amor" chega à TV quase 40 anos depois...

Hoje o Canal Brasil exibe dentro da "Mostra Walter Hugo Khouri", às 00:30h, o filme "Amor Estranho Amor", longa que teve sua história totalmente "esquecida" para receber a alcunha de "filme proibido da Xuxa". E se você ainda acha que o filme se resume a isso, já adiantamos: vai se decepcionar bastante.

A foto que deu origem a um dos cartazes do filme. Notem que Xuxa não está nua como parece no cartaz divulgado

Alguns pontos que deveriam sempre ser esclarecidos cada vez que falam desse longa.

◾Não é um filme "da Xuxa", já que ela faz uma participação. Tarcísio Meira e Vera Fisher são os protagonistas, assim como o garoto Marcelo Ribeiro.

◾Também não é - e nunca foi - um filme pornográfico. O longa é classificado como um drama erótico.

◾A trama gira em torno de temas como prostituição, política/poder, Complexo de Édipo e voyeurismo.

◾ Não há o que se falar em pedofilia; a personagem Tamara (Xuxa) tem 15 anos e Hugo (Marcelo Ribeiro) tem 13.

◾Em 1982, não havia impedimento para que menores de idade contracenassem em filmes de temática adulta, desde que os pais consentissem

◾O "estranho amor" se refere ao envolvimento do menino com sua mãe Anna (Vera Fischer), sendo esse inclusive o foco de um dos cartazes originais do filme

O cartaz original e principal: foco no "estranho amor" de mãe e filho numa alusão ao complexo de Édipo, uma das teorias de Freud

◾ Existe ainda um cartaz em que todos artistas têm seus nomes em igual destaque, mas ele também foi mexido para aumentar o apelo em cima da imagem de Xuxa. Na foto original (a primeira desse post) ela não está nua como sugere o pôster. 

Neste cartaz vemos que houve uma espécie de montagem em relação ao corpo de Xuxa, mas o detalhe mais evidente é a mão dela que, teoricamente, estaria dentro do paletó de Tarcísio, mas basta observar bem para se perceber que é, na verdade, um corte muito do mal feito...

◾Quando o filme saiu em VHS chegaram até mesmo a pintar o corpo de Xuxa de outra cor para chamar ainda mais atenção. Bem conveniente já que a fita saiu em dezembro de 1986 e Xuxa era a mais nova contratada da Globo, alcançando excelentes números em audiência e vendas de discos.

Quando foi lançado em VHS (CIC Vídeo), os nomes de Iris Bruzzi e Mauro Mendonça perderam destaque e o logotipo foi estrategicamente reposicionado na parte superior. Mais uma maneira de evidenciar o corpo de Xuxa. Não satisfeitos, resolveram mudar a cor dela como se ela fosse a principal atriz no filme.

◾E, por último, mas não menos importante: é um FILME, não a VIDA de algum(a) dos atores ou atrizes que dele participam

E se, por algum motivo, ainda existe dificuldade em entender isso, uma sugestão: não assista, mas também não saia falando o que não sabe 💁🏻‍♂️

Xuxa recebe as orientações do diretor Walter Hugo Khouri para gravar a cena em que Tamara encontra Hugo pela primeira vez
(Foto de divulgação)


⠀⠀⠀⠀

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Xuxa, "Memórias" e sua história

Hoje é Dia Nacional do Livro e não há maneira melhor de representar a data aqui no Xuper blog... No dia 21/09, as livrarias de todo o Brasil receberam “Memórias”, o primeiro livro autobiográfico de Xuxa. Lançado pela GloboLivros, a publicação de 272 páginas traz relatos de momentos da vida da Rainha e uma quantia considerável de fotos, em sua maioria inéditas.

À primeira vista pode parecer o trivial de uma biografia, mas “Memórias” tem uma particularidade: já nasceu com história suficiente para se fazer protagonista de um capítulo só seu e é por esse caminho que seguiremos: as memórias do “Memórias”.

Memórias chegou às lojas em 21/09, mas sua história renderia uma capítulo a parte

Xuxa em livro
Lançar um livro contando a própria história é novidade na carreira da Rainha; até então ela só tinha lançado 2 livros de fotos: um dedicado aos seus 20 anos de Rede Globo – “Xuxa: Uma História de Amor” (Editora Globo, 2006) – e outro abrangendo toda sua história: “Xuxa” (Editora Toriba, 2019).

Embora tenham caráter retrospectivo, as obras não possuem texto, apenas fotos
Fotos: Ag. News / Xuper Blog



Nota do blog: Em 2001 foi lançado o livro “Xuxa” (Editora Artemeios), mas apesar de ser reconhecido como uma obra oficial, Xuxa não é creditada como autora. Quem aparece na função é a jornalista Ana Lúcia Neiva e o texto é superficial, ocupando um papel secundário na obra, já que as fotos ocupam 90% das páginas.

Xuxa lançou o primeiro livro "biográfico" no MAM, em dezembro de 2001, mas não foi ela quem escreveu o (pouco) texto da obra
Foto: Marta Santos



Xuxa por Xuxa
Se lançar livro autobiográfico é novidade, escrever sobre sua história (ou sobre coisas que façam parte dela) não é. Ainda modelo, no início dos anos 80, Xuxa tinha o costume de registrar em um diário as experiências e acontecimentos do seu dia a dia.

Toda noite, antes de se abraçar com Bebeto, bonequinho de penas que a acompanha desde a infância, e partir rumo aos sonhos, a manequim Xuxa senta-se diante de um caderno espiral e escreve os pensamentos e fatos amorosos que lhe agitaram mais um dia. Uma rotina desde fevereiro do ano passado e que já está no terceiro volume, sempre cadernos de 100 folhas, onde coloca sua letra redonda, pacientemente desenhada. É um diário lírico, sem descrições eróticas, detalhes excitantes. (...) É nele que Xuxa despeja seu estilo de frases curtas, como o de Agatha Christie, sua escritora preferida. 
(Trecho extraído da matéria “o Vulcão em Repouso”, da Playboy, em abril/1982)


Na época chegou-se a falar que tais registros virariam um livro, mas o máximo que aconteceu foi a revista Ele Ela (Bloch Editores) selecionar algumas passagens do diário e publicá-las em sua edição de maio de 1985. Dois anos depois, numa entrevista, a revista quis saber:

Ele Ela: Continua escrevendo seu diário?
Xuxa: Parei. Não era bem um diário, mas um registro de pequenas coisas que aconteciam, era mais um desabafo. E essas anotações pararam quando eu e o Dico, quer dizer, o Pelé, paramos, há um ano.


A primeira vez que textos de Xuxa foram publicados aconteceu na revista Ele Ela, em maio de 1985
Reprodução da revista Ele Ela (Bloch Editores)


Na verdade Xuxa nem precisava mais se preocupar em registrar o que lhe acontecia, pois toda a imprensa o fazia por ela. No auge da Xuxamania, qualquer passo seu era noticiado por mais corriqueiro que fosse. E assim se passaram meses, anos, década...

Pois é, uma década depois do fim dos registros no diário, Xuxa aceitou um convite da revista Caras e escreveu sua história (de forma bem resumida). A revista transformou o texto em quatro capítulos que foram publicados entre julho e agosto de 1996, aproveitando a comemoração dos 10 anos de Xuxa na Rede Globo. Na verdade, o texto acabou em segundo plano pois as fotos ocupavam quase todas as 8 páginas de cada capítulo.

O texto de Xuxa foi transformado em 4 fascículos pela revista Caras em 1996, mas o atrativo mesmo eram as fotos (em sua maioria proveniente do arquivo de imagens da Editora Abril)
Reprodução da capa dos capítulos 1 e 2 de "As Memórias de Xuxa" (Revista Caras - Editora Abril)


Em 1998, Xuxa realizou o sonho de ser mãe e a vontade de fazer registros renasceu. Ela montou uma espécie de diário sobre a maternidade, onde contava para Sasha seus momentos mais especiais e mensagens que gostaria que a menina um dia conhecesse. Esse “diário” foi mostrado num vídeo do canal de Xuxa no YouTube – o Canal X – mas seu conteúdo permanece reservado a quem ele foi destinado.

“É como se fosse um diário, gente! Um diário que eu fiz pra Sasha ler, de tudo que acontecia, de tudo que eu fazia, TUDO! Tá tudo aqui!” – contou Xuxa, surpresa, ao reencontrar o “presente” que nem ela mesma lembrava ter feito.




Em novembro de 2014, novo convite! Dessa vez para uma coluna quinzenal na revista Viva! (que na época pertencia à Editora Caras). A diferença é que agora Xuxa usava o espaço também para comentar fatos da atualidade, expondo sua opinião. A coluna existiu até outubro de 2016, quando a revista encerrou suas atividades.

Novembro de 2014: agora é para valer, nada de registros para si própria, Xuxa agora escrevia para milhares de leitores e ela tirou de letra...
Reprodução da capa da revista Viva! nº 789 / Foto Xuxa: Blad Meneghel



Nesse meio-tempo, Xuxa publicou seu primeiro livro de textos; mas não sobre ela, e sim sobre algo que faz parte de sua história: a Fundação Assistencial Xuxa Meneghel. Em maio de 2015, ela lançou “Fundação Xuxa Meneghel – 25 Anos Transformando Histórias” (Editora LeYa) onde contou as histórias de algumas das crianças que passaram por lá e também como surgiu a ideia de criar aquele lugar que, sem dúvida, ganharia um capítulo nas memórias de muita gente.

"25 Anos Transformando Histórias" traz a história da
Fundação Assistencial Xuxa Meneghel sob o olhar de Xuxa


Em janeiro de 2017, foi a vez da Contigo recrutar Xuxa para seu time de colunistas. Os textos seguiam o mesmo padrão da revista anterior: memórias, desabafos, opiniões... E o destino, infelizmente, também foi o mesmo: com o fim da edição impressa, a coluna “X da Questão” deixou de existir em dezembro de 2018.

Xuxa só ficou dois meses sem escrever; em janeiro de 2017, a revista Contigo! a convidou para trazer a coluna "X da Questão" para a publicação
Reprodução da capa da revista Contigo! nº 2157  // Foto Xuxa: Blad Meneghel


A essa altura Xuxa já tinha mostrado que sabia atingir o coração das pessoas também com seus textos e, sabendo disso, outra revista a convidou para ser colunista. A Vogue estreou a “Coluna da Xuxa” em 06/05/2019 e agora, nem a Rainha, nem seus leitores precisam se preocupar com o possível fim da versão impressa, pois a coluna é exclusiva da versão digital. A coluna é publicada mensalmente no site vogue.globo.com


Xuxa por Guilherme
Com tantas experiências, já tinha passado a hora de Xuxa fazer seu livro e Guilherme Samora – editor do Memórias – sabia disso, só precisava convencê-la.

No prefácio de “Memórias”, Guilherme compartilha uma vontade que teve por muito tempo: “como eu queria que as pessoas conhecessem a história forte dessa mulher, contada desse jeito franco e honesto dela. É impossível não ser tocado por ela”.

A história de Guilherme e Xuxa é antiga. Como jornalista, ele esteve presente em vários momentos importantes da história de Xuxa, o que fez os laços se estreitaram.  São inúmeras as matérias escritas por ele sobre Xuxa, a maioria para a revista Quem (Editora Globo).

Guilherme esteve presente em importantes acontecimentos na vida de Xuxa: o Kikito em Gramado/RS (2009); a badalada ação de marketing "Xuxa Morena" (2012); os 50 anos comemorados em grande estilo (2013); a contratação pela RecordTV (2015)... só para citar alguns
Reprodução de páginas da revista Quem


Além disso, ele já tinha know-how sobre escrever/editar biografias. Em 2016, ele teve participação importante em “Rita Lee – Uma Autobiografia”: ele é o personagem Phantom, um fantasminha que, volta e meia, aparece no livro arrematando dados e até corrigindo Rita quando sua memória "escorrega" em datas ou esquece de algum detalhe importante para aquele momento.

Dois anos depois Guilherme lançou a biografia “Francisco” (GloboLivros) contando a história de São Francisco de Assis, por quem ele sempre teve curiosidade e fascínio.

Guilherme Samora: know-how em biografias com a bênção de
Santa Rita de Sampa e São Francisco de Assis

Reprodução redes sociais // Capas dos livros lançados

E Xuxa? Guilherme insistia na pergunta: “quando é que vai escrever seu livro?”, mas Xuxa não dava muita bola. Até que ela mudou de ideia...


Livros Só Para Baixinhos
Durante a pandemia, Xuxa, em razão do isolamento social e também devido aos recentes (e modificadores) acontecimentos em sua vida, “ressuscitou” seu lado escritora. Para quem não sabe (ou não se lembra), lá em 1985, quando se dividia entre apresentar o Clube da Criança (TV Manchete) e seus trabalhos como modelo internacional (Ford Models NY), a Rainha escreveu “” (Editora Nova Fronteira), livro infantil sobre uma menina que se sentia só por ter uma certa dificuldade em fazer amigos. Ficção, mas com base no momento que ela vivia...


Voltando a 2020... mais uma vez as experiências fizeram nascer em Xuxa a vontade de contar histórias para as crianças e assim ela transformou em ficção acontecimentos de sua realidade atual: a chegada de Maya, sua afilhada; a experiência em conhecer o trabalho humanitário das ONGs em Angola, a decisão de se tornar vegana e a partida de Dona Alda, sua mãe. Tudo isso estará retratado de forma lúdica em livros infantis que sairão pela GloboLivros.

Nota do Blog: O primeiro dos infantis será "Maya Bebê Arco-Íris", seu lançamento está previsto para o próximo dia 03/11. Essa história, especificamente, Xuxa escreveu quando a pequena Maya ainda nem havia nascido. Foi em outubro de 2019 (Maya nasceu em 26/01/2020).



Foi a partir dos livros infantis que Guilherme convenceu Xuxa a fazer também um compilado de suas memórias, como ela contou no programa Otalab em 16/07/2020:

“Primeiro, eu estava fazendo uns livros para criança... Pensei em lançá-los e tudo que eles rendessem seria revertido para a Aldeia Nissi (Angola) e santuários que cuidam de animais resgatados aqui no Brasil. Quando comentei isso com o Gui (Guilherme), ele me disse que antes gostaria de lançar minhas memórias para que isso chamasse a atenção do público e só depois lançar os infantis. Então comecei a buscar coisas que eu já tinha escrito, escrevi coisas novas, coisas que nunca tinha dito e comecei a juntar tudo. Redescobri fotos antigas, registros e assim o “Memórias” ficou pronto.”


Xuxa fez questão de selecionar as fotos que estão no Memórias;
começou às 3h da tarde e foi até às 5h da manhã do dia seguinte

Foto: Blad Meneghel


Vender = Ajudar
Como tudo que envolve o nome “Xuxa”, o livro já chegou cercado de expectativas, curiosidades e polêmicas e isso, claro, felizmente refletiu nas vendas. 


A primeira tiragem foi de 100 mil exemplares, um número excelente; tanto que a GloboLivros presenteou Xuxa, no dia do lançamento, com uma placa que recebeu o nome de “Livro de Ouro”, numa alusão às certificações “Disco de Ouro” que os artistas ganham na música e que Xuxa, por sua vez, já deve ter perdido as contas de quantos ganhou na vida.

Xuxa exibe sua mais nova certificação, o Livro de Ouro, uma forma que a GloboLivros encontrou para parabenizá-la pelas 100 mil cópias já na 1ª tiragem. A placa foi feita pelo artista Adriano Mendonça (@euadrianojs) que se inspirou em scrapbooks para confeccioná-la
Foto: Blad Meneghel


Nota do blog: Para se ter uma ideia de quão grande é esse número, basta compararmos à tiragem do livro “Xuxa” de 2001, que teve apenas 10 mil exemplares na 1ª tiragem e mais 10 mil na 2ª. Lembrando que em 2001, Xuxa estava no ar semanalmente com seu “Planeta Xuxa” na TV Globo, tinha inúmeros produtos com seu nome no mercado e lançava, religiosamente, pelo menos um disco/DVD por ano.

Quem ganha com isso não é Xuxa, pois ela abriu mão de todos os royalties (os direitos autorais) em favor dos Santuários do Brasil e da Aldeia Nissi. Não era de se esperar outra coisa de Xuxa, como registra Guilherme no prefácio:

“Nesse momento, vi aquela luz se acender. Não era só um projeto. Não era só sobre ela. Não era simplesmente algo para satisfazer o ego. Era algo maior, que chegaria a causas do coração.”

A principal motivação de Xuxa ao escrever suas memórias:
poder ajudar crianças e animais


🔊 Divulgação
A primeira vez que se ouviu falar no livro foi em 21 de junho (exatamente três meses antes do lançamento), quando o colunista Lauro Jardim do jornal “O Globo” publicou uma notinha contando a nova empreitada da Rainha. O que começou timidamente culminou numa avalanche de matérias que tomaram conta dos principais jornais do país. Sem esquecer, claro, da mais nova forma de divulgação do momento: as famosas lives. Desde julho, em praticamente todas as transmissões que a Rainha participou o livro era tema obrigatório; afinal quem ia desperdiçar a oportunidade de conseguir um detalhe exclusivo?



No dia do lançamento, a live “oficial”: Xuxa conversou com Guilherme Samora sobre o livro, reforçou a importância da ajuda que só é possível com a participação de todos e agradeceu! Como agradeceu... Se o livro se resume em HONESTIDADE,  a live do livro se resume em GRATIDÃO.





Xuxa por Rita Lee e Junno Andrade
As orelhas do livro trazem textos de Rita e Junno. 
Rita foi a primeira a ler as memórias de Xuxa e foi direto ao ponto: “escreve com coragem e honestidade”. Quem conhece a história de Rita, principalmente após sua autobiografia, sabe que ela não é de rodeios ou médias. Se ela deu seu aval, é porque ali encontrou realmente a verdade: “the one and only Xuxa”.

Xuxa sob dois pontos de vista: a estrela - the one and only Xuxa -  e a mulher por trás dos holofotes - a minha Xuxa. Rita Lee e Junno sintetizam as duas faces da Rainha


Junno nos traz a visão mais íntima de Xuxa, a mulher por trás dos holofotes e das grandes produções, aquela por quem ele se apaixonou: “a cara mais lavada que já vi num primeiro encontro! Uma pessoa especial, que não precisa de subterfúgios para ser quem é”. E por mais que ele diga que é difícil saber por onde começar ou quando parar ao se falar de Xuxa, sua conclusão é pontual: “a partir de suas memórias, você terá ainda mais motivos para admirar esse grande ser humano”.


O conteúdo
Memórias não tem a pretensão de ser definitivo na história de Xuxa. Não espere encontrar nele tudo que aconteceu nestes 57 anos de vida da Rainha de forma detalhada. Seria praticamente impossível e, certamente, o número de páginas teria que ser multiplicado por 10, no mínimo...

O nome do livro traduz bem o que você vai encontrar: memórias, lembranças, fragmentos... Momentos que realmente foram importantes para ela ou que ela julga serem importantes para ajudar alguém, seja inspirando ou encorajando.



Não vamos aqui discorrer sobre o que deveria ou não estar no livro, pois como a própria Xuxa disse na live, as memórias são dela e ela sabe o grau de importância de cada uma em sua história.

O que podemos garantir é que dá muita vontade de comentar capítulo por capítulo, falar das fotos etc, mas não faremos isso porque não queremos estragar a grata surpresa que é ler “Memórias” (se você ainda não leu).

O livro ainda atiça o coração dos colecionadores: duas contracapas diferentes ilustrando as "duas" Xuxas - passado e presente
Foto: Blad Meneghel


Curiosidades
Escolhemos dois momentos do livro que não têm fotos publicadas e que seria legal mostrar o que foi contado. Calma, não tem spoiler. Vamos apenas dizer o capítulo e falar de forma genérica, sem os detalhes que Xuxa conta.

📖 Você leu, mas não viu – parte 1
No capítulo “Mãe Presente”, Xuxa conta sobre como Dona Alda surpreendeu toda a equipe da revista Ele Ela quando a loira foi escolhida para fazer uma foto do seu... bumbum. Pois é, se não fosse a mãe da loira, a revista não teria conseguido esse registro:

Dona Alda podia até não ter a experiência dos fotógrafos, mas sabia valorizar a imagem de Xuxa como ninguém... A história completa está no livro "Memórias"




📖 Você leu, mas não viu – Parte 2
Sem filtro, com muito amor” conta um episódio marcante para a loira que comemorava, pela primeira vez, seu aniversário na TV. O então patrão de Xuxa, sr. Adolpho Bloch, fez questão de preencher uma lacuna na história da aniversariante e, sem avisar, entrou em cena em pleno “Clube da Criança” tirando-a para valsar.


O "patrão" fez questão de cumprimentar sua funcionária mais ilustre em seu primeiro aniversário na TV. Xuxa conta com detalhes como foi o momento...



👀Você viu, mas não leu
Na parte das fotos, Xuxa selecionou duas para representar o início de sua carreira como modelo: "duas poses no começo da carreira" diz a legenda. Uma dessas fotos é inédita e  pertence a um ensaio que deu origem à campanha da Coleção Verão 80/81 de moda praia da marca Marilan



Ok, até aí nada demais, pois Xuxa era uma das modelos mais requisitadas para catálogos de moda praia e lingerie. O curioso é que este ensaio chamou atenção da Playboy (em setembro de 1981) e da revista Canal TV (em setembro de 1982) que publicaram fotos do mesmo para enaltecer a beleza da loira... Ah, e pra quem gosta de uma coincidência: setembro de 81, setembro de 82 e a foto inédita também saiu em setembro!




🔎 Oops, Gracinha Curiosa, vem aqui!
Pra quem não se lembra, em 1994, Xuxa interpretava a personagem Gracinha Curiosa no “Xuxa Park”. A moça pesquisava sobre tudo e tinha uma memória invejável. Mas por que estamos falando dela? 

O Phantom "assombra" a biografia de Rita Lee fazendo observações ou correções de forma pontual e bem humorada

Bom, inspirados no Phantom de Guilherme Samora, que dava uns toques nas memórias de Rita Lee, achamos que seria justo trazer Gracinha para arrematar alguns “oops” nas memórias da Rainha. Lembrando que isso em nada invalida a memória retratada e são apenas curiosidades, ok?

- Falando de “Super Xuxa Contra Baixo Astral”, a loira diz que ficou “abobada” quando lhe falaram que o filme “bateu três milhões de espectadores só no primeiro final de semana”... Na realidade, essa foi a bilheteria aproximada do filme durante todo o período de sua exibição e não do primeiro final de semana. 



- Dentre as fotos publicadas, há uma com várias TVs de uma loja de eletrodomésticos sintonizadas num programa da Xuxa. A legenda diz: “todas ligadas no Xou”. Na verdade a foto é de 1997 e o programa que está sendo transmitido é o Xuxa Park, portanto “todas ligadas no Park”.




- Na legenda da foto do filme “A Princesa Xuxa e os Trapalhões”, a Rainha comenta que colocaram gesso em seu tronco para fazer o molde do figurino que seria confeccionado em metal. Sim, isso aconteceu de verdade, mas a foto publicada não é a desse figurino especificamente, e sim de outro figurino do filme (tão lindo quanto)...


Viram só? Nós falamos que não era nada demais...💁🏻‍♂️


Vem mais por aí
O que vou fazer daqui para a frente? Garanto que vem mais por aí. Pois vou viver. Viver tudo que Deus reserva para mim.

E se depender da gente cada novo capítulo vai terminar com "...e ela continua vivendo feliz para sempre!", afinal, como disse Junno, ela é a "nossa Xuxa" e em nossas melhores memórias sempre estará a sua história, porque ela se mistura à nossa. Valeu, Xu!



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...