terça-feira, 18 de maio de 2021

Show de Xuxa (Argentina) - 30 anos - O início

Em 1991, Xuxa deu o maior passo na história do entretenimento televisivo brasileiro: ela se tornou a primeira artista brasileira a ter um programa gravado em espanhol e exibido em 18 países.  O “Show de Xuxa” estreou em 06 de maio de 1991. Totalmente gravado nos estúdios da Telefé (emissora argentina), a atração foi exportada para toda a América Latina.


Show de Xuxa: o primeiro programa de uma artista brasileira totalmente gravado em espanhol e exibido em toda América Latina

A Argentina não era a primeira opção e sim o México, especificamente a Televisa, comandada pelo sr. Emilio Azcarraga Milmo. As negociações começaram em meados de 1990. Ele já conhecia o fenômeno “Xuxamania” por conta da Univision, emissora de língua espanhola cuja programação é voltada para as comunidades de latinos que vivem nos EUA. A emissora foi uma das divulgadoras de Xuxa quando ela lançou seu primeiro disco em espanhol, em 1989.

Tudo parecia acertado, mas a distância Brasil-México fez Xuxa repensar o convite. Enquanto isso, Xuxa seguia divulgando seu disco pela América Latina, até que em dezembro de 1990, chegou à Argentina. As músicas já eram sucesso e a Telefé a convidou para uma espécie de pocket show. A apresentação foi gravada para ser exibida como um especial de TV e foi a deixa perfeita para o convite de apresentar uma atração nos moldes do “Xou da Xuxa” na Argentina.


O primeiro especial de Xuxa em sua futura emissora, a Tele, foi exibido em 20/12/1990


Xuxa e Argentina: uma paixão à primeira vista, de ambos os lados. Convite feito, convite aceito! Era oficial, Xuxa era a mais nova contratada da Telefé e seu programa, assim como no Brasil, se tornaria, em pouco tempo, o programa infantil nº 1 do país.

E prevendo toda a curiosidade que a chegada de Xuxa causaria, a revista argentina GENTE grudou na loira durante as primeiras gravações em solo argentino. Xuxa chegou dia 02 de maio e gravou 10 programas entre os dias 03 e 04. No dia 05 já estava de volta ao Brasil, onde participou do Domingão do Faustão ao vivo.

E se você quer saber como foram esses primeiros dias da loira lá, é só continuar a leitura. Trouxemos a íntegra da matéria da revista Gente. Boa leitura! 📖

A revista argentina GENTE acompanhou com exclusividade a chegada de Xuxa ao país para gravar os primeiros dez programas. Eles foram gravados a menos de uma semana da estreia!

Não é só um show, um sucesso, um fenômeno, uma máquina de fazer dinheiro, 27 anos em sua explosão, uma energia inesgotável, uma beleza. É TUDO ISSO – absolutamente – mas, antes de tudo é uma lição de profissionalismo. E antes ainda uma eterna demonstração de amor “aos seres mais importantes do mundo: as crianças”, algo que repete não por ser um roteiro, mas por convicção.

Mas chega de definições: suas ações a definem melhor que um dicionário. Ela chegou na quinta-feira, dia 2, num avião particular com mais 32 pessoas comandadas pela diretora Marlene Mattos: maquiadores, figurinistas, cenógrafos, operadores de áudio e vídeo, coreógrafo, as Paquitas, as Metralhas, Dengue e Silvão – com seus 1,90m, nada agressivo, mas uma rocha na hora de conter a multidão – seu guarda-costas. Entrou na suíte presidencial do Hotel Alvear (quarto 604) e pediu:

Flores brancas e amarelas, água mineral, sucos de laranja, abacaxi e maçã. Todas frutas possíveis e que não entrem no quarto nem uma gota de álcool ou cigarros, mesmo que venham como presentes ou cortesia, por favor.

Xuxa chega ao Hotel Alvear acompanhada das Paquitas, enquanto isso nos estúdios da Telefe uma equipe montava do cenário ao camarim. Tudo tinha que estar perfeito para receber "la Reina"


E na sexta, às 15h, no estúdio principal da Telefé, começou a gravar. Mas essa história precisa que voltemos no tempo... Uma semana antes, em cinco caminhões de carga, chegou o cenário do programa (um material que custa cerca de 300 mil dólares e tem 40 toneladas de peso), que ficará em Buenos Aires até dezembro. O comandante deste gigantesco “circo ambulante” é João Cardoso Filho (28), que projeta, desenha, supervisiona, cuida e direciona os cinquenta operários que montam a nave, os escorregadores, os carrosséis, os painéis e – feita especialmente para o programa na Telefé – uma escultura gigante de uma gladiadora com o rosto de Xuxa; tudo feito com isopor, fibra de vidro, madeira, poliuretano, látex e muita espuma de borracha. “Para que as crianças não se machuquem é preciso respeitar não só o espírito, mas também o corpo" - diz ela.

Enquanto João montava seu mundo fantástico, Luiz Leal o iluminava: além da luz do estúdio, acendeu outras 6.500 lâmpadas (e ainda os efeitos especiais: fumaça, nuvens, nevoeiro); algumas envoltas em uma película amarela. “Para destacar o rosto da Xuxa, dar tom e eliminar sombras. Quando queimam, Xuxa suspende a gravação”, diz com ar quase doutoral.

O cenógrafo João Cardoso e o eletricista José da Silva cuidam dos detalhes. Cinco caminhões de carga trouxeram o cenário do Brasil para Buenos Aires


Isso é tudo? Não, apenas uma parte. Porque William Garcez (31), seu câmera exclusivo para closes, também inspecionou o terreno: “Quanto aos closes, eu sou o dono: não me separo dela há seis anos”, jura como um Da Vinci que não solta seus pincéis. E não menos trabalho tem Sandra Bandeira (33), figurinista de Xuxa: “Sou casada com um argentino e estou com ela há cinco anos. Ela não quer repetir modelos, então eu desenho tudo - suas roupas, suas botas, os uniformes das Paquitas - quase constantemente”. Os coringas? Tecidos preto e branco, muito veludo, muito tafetá, detalhes em ouro e prata, bordados, pérolas, strass, botões com pedras brilhantes, ombreiras (ela gosta do look militar), broches, medalhas".

A figurinista da época, Sandra Bandeira, e o coréografo Berry com as Paquitas Letícia Spiller, Bianca Rinaldi e Ana Paula Guimarães


PRIMEIRO ELES
Começou às três da tarde de sexta-feira, gravou cinco programas (o Show de Xuxa tem uma hora de duração), terminou às duas da manhã, voltou ao hotel, cancelou as compras previstas para sábado (ela queria comprar jaquetas), e gravou novamente no sábado, de meio-dia a uma e meia da madrugada de domingo.

Uma hora depois, no mesmo avião particular, retornou ao Rio de Janeiro. Mas o que ela deixou (seu trabalho, sua intimidade, sua relação com as crianças) é inesquecível e pode se resumir em outra de suas frases: “Eles (os baixinhos) estão em primeiro sempre”.  O que não é exatamente uma frase, mas uma bíblia.

Xuxa pede que todas crianças sejam identificadas pelo nome (no caso um adesivo com o nome escrito à caneta e colado na roupa delas): “Para que cada criança seja uma pessoa: Juan, Pablo, Santiago... e não mais um no meio da multidão. Nossa relação começa a partir do respeito e do protagonismo” – define.

Faz questão que todos baixinhos (em Buenos Aires, na Telefé, foram 70 e no Brasil, geralmente são 100) sejam cuidados com zelo: havia água, refrigerante, lanche com três sanduíches e um alfajor, e só pediu que jogassem os copos e os papéis nos lixos em forma de cogumelos. “Não é autoritarismo, mas o programa mistura valores essenciais: muita fantasia, mas também quero que seja ecológico: se aprenderem a não sujar o chão, também aprenderão a não sujar o planeta em que vivem”.

Xuxa em ação: a imprensa argentina se impressionou como ela fazia as crianças serem também as protagonistas do programa


Ela pede desculpas por não falar o espanhol perfeitamente, apesar de estar estudando com afinco já há quase dois anos com uma professora que não se separa dela. Xuxa não manda, não grita, não é disciplinadora, não domina as crianças (nem se deixa dominar por elas, conhece e administra os limites essenciais), também não os tratas como bobos – um defeito recorrente nos programas infantis da TV -  e renuncia ao protagonismo em favor da participação: ela é o foco, mas eles também.

Vale a pena contar um momento que aconteceu no sábado, durante um intervalo nas gravações, com a câmera desligada, ela perguntou:

- “Querer” aqui é como “amar”? Porque nós dizemos amar e vocês querer... E “querer” então é muito bom, né? Digo isso porque um menino, há pouco tempo, me disse que queria me contar um segredo. Quando me abaixei, ouvi: "te quiero mucho." E agora estou emocionada...

Ela é um turbilhão, uma câmera acelerada, um motor a todo vapor e ao mesmo tempo uma formidável controladora do tempo e detectora de detalhes (por exemplo, no início de um bloco foi a única que percebeu, em todo o palco, que o revestimento de um enorme caracol estava solto e parou a gravação, pedindo que arrumassem imediatamente).

Xuxa fora do roteiro: ao final da gravação do segundo programa no sábado, ela viu uma bola: brincou um pouquinho, fez embaixadinha, de calcanhar e quando a plateia começou a aplaudir, cabeceou


O constante retoque da maquiagem durante a gravação irritou a pele ao redor olhos, mesmo assim ela não parou apesar da ardência. Nunca usou o programa, as crianças ou os sorteios para divulgar coisas que não acredita, só pelo fato de ser paga para estar ali. Cantou, dançou, correu de um lado a outro, tudo sem parar um momento e também sem esquecer das crianças. “Quero que participem, não que sejam robôs. E para isso falo, brinco com eles, os faço se movimentar, os convido a se soltar, não os subestimo; e , ao mesmo tempo, ensinar as coisas”. E ela provou seu ponto de vista: em um dos programas, sutilmente, sem fazer qualquer alusão ao cólera, pediu que as crianças lavassem as frutas, que consultassem seus pais antes de colocar a mão em qualquer lugar e que sempre lavassem as mãos quando voltassem da rua: as mesmas pautas que encontraríamos numa campanha de prevenção mas sem colocar-lhes medo ou induzi-los a questionar algo que não cabe questionamento neste momento. Tudo vem do respeito.

Outro momento que prova esse sentimento: enquanto dançava com Rikki Maravilla (que a cativou de cara, seja dito), deu uma rodopiada e sua saia se levantou, deixando suas coxas a mostra. Rapidamente pediu uma blusa à produção para amarrar à cintura e seguiu a gravação devidamente coberta, com sua capacidade de improvisação.

Xuxa dança com o cantor Ricky Maravilla, o primeiro convidado de seu programa argentino


XUXA FALA
Aos poucos, quando podia, nas pausas durante o dia ou a noite, Xuxa falou com exclusividade com GENTE:

Por que esse fenômeno? Qual é o segredo do seu sucesso?
Não existe fórmula. É a vontade de Deus, uma equipe perfeita, trabalho e a vontade de continuar e continuar, porque não há nada mais importante que o público infantil.

Tem medo que tudo isso se acabe?
Não. Tenho medo da morte e do desconhecido, mas jamais de perder o sucesso. Porque o dinheiro – e eu ganho muito – não é tudo. As crianças já me deram tanto, me passaram tanta energia, que nem se quisesse eu poderia saber o que é fracasso.


Você nunca fica deprimida?
Poucas vezes, mas quando acontece me tranco num quarto que tenho em casa, onde estão guardadas todos os presentes que as crianças me deram em cada programa: bichinhos de pelúcia, arquinhos, meias, brinquedos, fotos, de tudo um pouco. Olhar para tudo aquilo e recordar os momentos vividos é como receber uma descarga elétrica: a depressão vai embora e estou pronta para começar de novo.

Por que não tem alguém com você?
Pode parecer que sou orgulhosa, arrogante, mas não sou para qualquer homem que mal me conhece e já vem dizendo “te amo”. A pessoa tem que ser especial, tem que gostar de criança, os animais (tenho quase um zoológico em casa), a natureza, a fantasia. E quero que não fume, não beba. Essas coisas me incomodam. Se alguém vem dar uma baforada de cigarro no estúdio no meio da gravação, paro e saio. Assim mesmo, do nada.

Se arrepende de ter posado nua?
De jeito nenhum. Primeiro porque isso aconteceu quando comecei a trabalhar como modelo, há cerca de dez anos. Meu trabalho era direcionado para adultos e, naquele momento, fazer fotos assim não eram novidade e nem escandalizavam a ninguém. Para mim foi mais um trabalho, um desafio profissional que decidi encarar. Já passou. Posso mostrar às crianças um vídeo de toda minha vida, não tenho nada do que me envergonhar.

Por que escolheu a Argentina para começar, já que você tinha ofertas de outros lugares?
Tudo começou em dezembro passado, quando vim pela primeira vez. Gritaram para mim: “Ídola”, olhei aquelas pessoas e descobri seu carinho, receptividade (não diferente dos brasileiros, embora muitos digam o contrário) e me senti em casa. Foi uma escolha por amor. Amor à primeira vista.




OS NÚMEROS
Todos os dias, de segunda a sábado, das 8h às 13h, cerca de 4 milhões de baixinhos ficam hipnotizados frente à TV vendo o Xou da Xuxa. Nos shows ao vivo, nunca são menos que 50 mil pessoas. Recebe 10 mil cartas por dia. Desde 1986, vendeu, só no Brasil, 12 milhões de discos e mais 1 milhão no resto do mundo. Tem 56 discos de platina. Seus cinco filmes já levaram aos cinemas 12 milhões de espectadores (sem contar os lançamentos em home vídeo). Sua revista em quadrinhos, de periodicidade mensal, vende 700 mil exemplares. Seu álbum vendeu 35 milhões de figurinhas. É praticamente incalculável a fortuna que conquistou com o merchandising de seus produtos: bonecas (13 modelos), jogos, botinhas, iogurtes, roupas, bicicletas, cadernos (ela faz questão de conferir cada produto antes do lançamento). Sua imagem já chegou ao Chile, México, Peru, Venezuela, Paraguai, Uruguai, Equador, Bolivia, Estados Unidos, Espanha, França, Italia, Alemanha e Portugal. A sociedade que trouxe seu programa para a Argentina é composta por Eduardo Metzger, Victor Tobi e Produfé. As negociações levaram quase sete meses. Xuxa escolheu a Argentina ao invés da Televisa (México) ou do chefão italiano da TV (Berlusconi) que queria apresentá-la na Espanha. “Era algo utópico ela nos escolher – recorda Metzger – mas escolheu”.

Soy de Brasil y adoro ARGENTINA
Quiero el amor de ustedes
El amor me fascina



🔎Créditos: Revista GENTE ©1991
Texto: Alfredo Serra
Entrevista: Sofia Lalane e Martha Wierzbicki Posse
Fotos: Agencia Bik Press, Julio Ferreyra, Carlos Lorenz, Carlos Alfano e Xicão Jones

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Xuper Star - 30 anos

Talvez, há exatamente 30 anos, você tenha feito parte da turma que esperou ansiosamente a “novela das 8” acabar para conferir a estreia de Xuxa... E se você não é dessa geração ou sua memória não é das melhores, saiba que é isso mesmo: Xuxa de noite, no mês de abril, estreando em 1991.

Esse era o mais novo desafio da carreira da loira: um programa humorístico inteiro para ela, uma criação de Chico Anysio, que desde 1988 queria ver seu projeto sair do papel e dar à nossa “super estrela” um novo horizonte. Já pode preparar seu “banho de espuma” para ler a história de Xuper Star.




🤩 Chico Anysio “Xou”
Na temporada de 88 do Chico Anysio Show, a atração tinha a presença de um convidado semanal para “movimentar” o programa, que enfrentava alguns problemas de audiência frente aos filmes do SBT. Xuxa foi a segunda artista convidada e o programa com sua participação foi ao ar originalmente em 24/08/1988.

Chico preparou três personagens para a estreia de Xuxa num texto seu: a vovó do ano 3000, a mulher artificial e a trombadinha Escada Rolante (que depois virou o personagem Moleque)


Satisfeito com o desempenho da loira, Chico a trouxe para outro projeto no mesmo ano: Xuxa interpretou a professora Lindona no especial Grupo Escolacho, parceria de Miguel Falabella, Léo Jaime e Chico Anysio, exibido em 22/12/1988.

A professora Lindona: cogitou-se que ela se tornasse uma personagem fixa no programa de Chico no ano de 1989

Em 1989, Chico ainda pensava em algo maior e queria algo exclusivo para ela. As participações foram bem aceitas pela direção e Boni, na época vice-presidente de operações da Rede Globo, queria que Xuxa passasse a integrar o elenco fixo do Chico Anysio Show na temporada de 1990. Chico, por sua vez, preferia criar um seriado que misturasse o universo de Xuxa ao do vampiro Bento Carneiro e a história aconteceria em pequenos capítulos dentro do Xou da Xuxa.


Mas em dezembro de 1989, Xuxa encerrou o assunto: “Adorei fazer o programa dele, mas acho que não vai dar para trabalharmos juntos em 90 por falta de tempo(Folha de São Paulo, 10/12/1989). E vocês já sabem que era a mais pura verdade: carreira internacional a mil, filmes, programa diário...

 

🗓️Terça Nobre
Para o ano de 1991, a TV Globo reservou novidades para a “Terça Nobre”. Revezariam às terças-feiras as atrações: Caso Especial (dramaturgia) na primeira terça de cada mês; o Programa Legal (de Regina Casé e Luís Fernando Guimarães) na terça seguinte; Doris Para Maiores (com Dóris Giesse) na próxima e, sempre na última terça-feira de cada mês, o Xuper Star.


A nova programação das terças-feiras na TV Globo em 1991


Mas o que poderia ter acontecido para que Xuxa mudasse de ideia? Afinal, sua carreira continuava tão atribulada como antes (ou até mais, pois ela estava prestes a estrear um programa diário na Argentina).




Com tudo esclarecido, vamos ao primeiro “Xuper Star”...

 

⭐ Prazer, Xuxa... mas pode me chamar de Shirley, Cotinha, Livita, Rosicleide...
Martelo batido, estreia marcada, roteiro aprovado e muito trabalho pela frente. Era hora de começar a dar vida às personagens de Xuxa. Só no primeiro programa eram QUATRO. Sim, Xuxa era a única mulher no elenco fixo.

A principal, Shirley Liz, é uma apresentadora de programas de auditório, tida como referência em entrevistar convidados na TV. Qualquer semelhança com Hebe e seu jeito meio “perua” com joias e vestidos não é mera coincidência, é homenagem mesmo. “É uma Hebe Camargo da TV Globo”, nas palavras do próprio Chico (O Globo, 15/04/1991).

Shirley Liz, a estrela de Xuper Star: como "uma Hebe da TV Globo"


Na casa de Shirley moram as outras personagens vividas por Xuxa:

Rosicleide Sueli, a empregada que se intromete em todos os assuntos e acaba, meio sem querer, dando ideias para o programa da patroa; Lívia Peron (ou Livita, para os íntimos), amiga, confidente, massagista e guru espiritual da apresentadora, que, com seu jeito dramático e místico, faz previsões de um jeito bem peculiar. E, finalizando, a avó de Shirley, Dona Cotinha, que, apesar da aparência, é mais moderna e liberal que qualquer jovem da época.

As outras personagens de Xuxa faziam parte da vida de Shirley: a massagista e vidente, a empregada e a avó

 

💫 O elenco
Somente mais dois nomes completam o elenco: o diretor Jorge Fernando e o ator Guilherme Karan. Jorge repete em cena sua função na vida real, dirigir a estrela. A propósito, esse foi seu primeiro trabalho com Xuxa.




Seu personagem se chama Paraci Ubiratan Filho, a quem Shirley chama de PUF. E aí já surgem duas referências criadas por Chico: o nome do personagem brinca com o nome de então diretores da TV Globo:  Paulo Ubiratan e Daniel Filho. Mas quando Shirley justifica “eu te chamo de Puf porque você tem cara de Puf e barriga de Puf”, ela não estava apenas juntando as iniciais do nome, e sim, falando do Ursinho Puff da Disney. É, até meados dos anos 90 era assim que ele era chamado aqui. Não era Pooh, como as crianças o conhecem hoje.

Guilherme Karan foi chamado a pedido de Xuxa que, claro, já gostava do trabalho do ator desde Super Xuxa contra Baixo Astral (1988). Coube a ele dar vida a Aparecido, o mordomo de Shirley, que sonhava com uma bem sucedida carreira de ator e que, do nada, aparece vestido como os personagens que gostaria de interpretar.

Guilherme Karan: escolhido por Xuxa para dar vida ao mordomo Aparecido

Os demais personagens apenas dariam suporte ao roteiro do dia, sendo interpretados por atores convidados. Falando nisso, a ideia era que cada programa tivesse pelos menos dois convidados relacionados à música. Na estreia foram a dupla Chitãozinho & Xororó e os sambistas Neguinho da Beija-Flor e Dona Zica da Mangueira, que interpretam eles mesmos na história.


Chitãozinho & Xororó; Dona Zica da Mangueira e Neguinho da Beija-Flor, os convidados da estreia. A ideia era que cada episódio tivesse pelo menos 2 convidados relacionados à música

Já os atores convidados para a estreia foram:

Victor Fasano – o galã, que também estava no ar na novela “Barriga de Aluguel”, deu vida ao Dr. Reinaldo Doce, um médico capaz de curar traumas e fraturas somente com ondas de amor.  De cara, ele fez Shirley sentir o “ricochete” da onda de amor em lugares não imaginados no tratamento (uma das poucas piadas com caráter mais adulto do programa). Depois é a vez da avó Cotinha ficar “animada” com a visita do médico, num dos melhores momentos da personagem.

Victor Fasano: o galã trocou por uns momentos o drama de Barriga de Aluguel pelo humor debochado de Xuper Star


Zezé Macedo: a eterna intérprete de Dona Bela (Escolinha do Professor Raimundo) aparece logo no início do programa como a cosmetóloga Heleninha Rubinstone, numa referência à Helena Rubinstein (1872-1965), pioneira na indústria de cosméticos e produtos de beleza.

Zezé Macedo: participação pequena em referência à cosmetóloga Helena Rubinstein


Jorge Lafond e Paulette: os dois atores conhecidos por seus personagens gays estereotipados acrescentaram mais um à lista. Lafond interpretou Nanete, um costureiro que faz dupla com Naná, interpretado por Paulette. Naná e Nanete criam os figurinos de Shirley em conjunto, mas sempre encontram um ponto para divergir.

Naná e Nanete: mais dois personagens gays um tanto estereotipados para Jorge Lafond e Paulette incluírem na lista de sua carreira. Outros tempos...


Patrycia Travassos, Cristina Pereira e Luiza Tomé: o trio interpreta as representantes da Casa da Mãe Solteira e vão reclamar sobre a ajuda dada por Shirley. Elas não querem dinheiro, querem maridos! Outros tempos em que ainda havia o pensamento de que a mulher precisava de um homem para criar seus filhos... Certamente o roteiro seria diferente nos dias de hoje.

Cristina Pereira, Patrycia Travassos e Luiza Tomé: as mães solteiras que só queriam um marido e pediam a ajuda de Shirley Liz



📚 Referências do episódio
Já que falamos de coisas que ficaram lá nos anos 80/90, vamos às referências encontradas no programa e que hoje poderiam passar despercebidas ou não compreendidas.

🔹 Doutor Kildare – o famoso personagem americano foi estrela de filmes, seriado e até histórias em quadrinhos que retratavam seu cotidiano como médico. Ele é citado pelo mordomo Aparecido como sua maior inspiração. Isso porque a série de TV, exibida nos anos 60, e que tinha o ator Richard Chamberlain no papel título, foi um grande sucesso.

Dr. Kildare, praticamente uma Grey's Anatomy dos anos 60: drama e cotidiano hospitalar

🔹 Medidas Provisórias – o ano de 1990 ficou famoso pelo grande número de medidas provisórias do governo federal. Tanto que Puf se ofende quando Shirley compara o programa a elas, alegando que ninguém queria mais saber daquilo. Só para contextualizar: até abril/1991 existiam 295 medidas provisórias vigentes, dessas, 165 tinham sido promulgadas entre janeiro de 1990 e março de 1991.

A transição Sarney - Collor ficou marcada pelo excesso de medidas provisórias


🔹 Porta da Esperança
se Shirley não podia resolver o problema das mães solteiras, o jeito era manda-las para o seu amigo, que poderia colocá-las na “Porta da Esperança”, programa que Silvio Santos apresentava na época. “Dá um beijo no tio Silvio por mim” – fala Shirley ao se despedir.



🔹 Hi Lili Hilo – Quando os estilistas Naná e Nanete começam a discutir sobre o nome que dariam à roupa que tinham feito para Shirley, um sugere “Hi Lili Hi Lili Hi Lo” e o outro quer que seja “Eu levo a vida a vida cantando”. A apresentadora então sugere que juntem os dois nomes num só. Isso, na verdade, é o refrão da música “Hi Lili Hi Lo” que ficou famosa na versão em português de Gal Costa em dueto com o Trem da Alegria em 1985 (apesar de mesmo antes já existirem gravações de Nalva Aguiar e Maria Bethânia).

A música é uma versão de Hi-Lili Hi-Lo, música que ficou famosa como tema de Lili, filme americano de 1953

🔹 Dercy Gonçalves – quando Shirley é convidada para ser madrinha da Unidos do Vilajão, deixam claro que ela teria que desfilar de topless e Shirley responde que não sabe se poderia ser como Dercy. Em 1991, Dercy desfilou de topless pela Viradouro. A imagem virou o momento mais comentado do carnaval daquele ano. Na verdade essa nem era a ideia de Dercy ao desfilar, mas a fantasia não parava em seu busto e ela acabou deixando ela caída assim mesmo.

A Unidos do Vilajão queria Shirley de topless no próximo carnaval, tal e qual Dercy no carnaval de 1991

🔹 DDX – essa é só pra quem é bem fã do “Xou da Xuxa”... o telefone de Shirley é o mesmo que Xuxa usava no quadro DDX em seu programa. Ah, falando em Xou, no finalzinho do episódio, numa participação mais que rápida, aparece o famoso sonoplasta My Boy que Xuxa tanto falava no Xou, mas nunca aparecia. 

DDX no horário nobre: Discagem Direta com a Xuxa? Não, com a "Xirley"...



🎙️ Música Tema
O programa ganhou uma canção composta por Michael Sullivan e Paulo Massadas. Os arranjos são de Ary Sperling. A letra conta a escalada de Shirley rumo à fama e guarda elementos parecidos com a história de Xuxa.

Na abertura a música é interpretada por Massadas e no encerramento é a vez de Xuxa cantar (mas usando a interpretação vocal de Shirley). Curiosamente o trecho da abertura (cantado por Massadas) é o encerramento da música, pois já fala dos dias de estrelato de Shirley.



 

🤔 Para Baixinhos ou Para Altinhos?
Desde sua concepção, o Xuper Star era classificado para a família. Chico Anysio tinha essa preocupação como afirmou à Folha de São Paulo:

O público infantil deve ser grande. Qualquer coisa de sexo foi muito contida para não ferir a imagem de alegria e saúde que Xuxa passa às crianças

Xuxa demonstrou a mesma preocupação quando perguntada sobre o Xuper Star ser classificado como um novo programa infantil.

A questão do direcionamento do público: até onde ir de forma que a família toda pudesse assistir
Foto de Mirian Fichtner


 ⚠️ Repercussão e Audiência
Em termos de audiência, o programa teve a melhor média dos programas que estrearam na Terça Nobre: 38 pontos segundo o Data Ibope. Para comparação: o “Dóris para Maiores” em sua estreia teve 35 pontos e caiu para 24 já na segunda exibição (Folha de São Paulo, em 21/06/1991).

Porém a crítica especializada não deu chance para o programa dizer a que veio. Não foram poucos os defeitos apontados e os títulos das matérias já causavam uma má impressão; dessa maneira, dificilmente quem não tinha visto a estreia se interessaria pelo próximo episódio.

A Folha de São Paulo começou sua dissertação dizendo que não entendia como a Rede Globo havia produzido para sua maior estrela algo tão “pífio e sem graça”. Mas o que parecia poupar Xuxa, segue ainda mais cruel: “sem graça, sem imaginação e com o toque de Sadim de Jorge Fernando (Midas ao contrário)”. Nota-se uma má vontade exagerada do autor Sérgio Augusto para com Xuxa. No mesmo texto ele diz que nossos “vizinhos” (referindo-se à Argentina) seriam submetidos à mesma tortura já que Xuxa estava preparando a estreia de um programa latino. O que isso tinha a ver?

O Jornal do Brasil disse que Chico Anysio estava levando Xuxa para o abismo e que ela estava a anos luz de fazer alguma interpretação como ele. Mas a crítica Marília Martins não menciona, em momento algum, que Xuxa nunca teve a pretensão de ser atriz.

Sonia Abrão, em sua coluna para a revista Amiga, diz que somente Karan salva o programa e que a interpretação de Xuxa “não está com nada”.

Mas curiosamente, na mesma revista que Sônia fala isso, o crítico Eli Halfoun reconhece que as críticas estavam exageradas em relação ao desempenho de Xuxa e que o programa seria melhor aceito se Xuxa já não fosse a grande estrela que é.

Afinal por que Xuper Star incomodou tanto? Porque era "da" Xuxa, oras...


Depois da avalanche de críticas, a Globo e Chico Anysio encomendaram uma pesquisa junto ao público e o resultado não refletiu a cabeça dos críticos e sim o números da audiência.

Chico Anysio falou sobre o resultado ao jornal Estado de São Paulo em junho de 1991:

“Encomendei uma pesquisa ao Ibope que garantiu que o programa agradou a 78% de quem o assistiu. Só 22%, incluídos aí os críticos, não gostaram. A Xuxa ficou magoada porque disseram que o programa era pífio. Pífia é a inveja de crítico. Então eu disse pra ela: alguém falou bem dos seus discos, que vendem milhões de LPs? Alguém falou bem dos seus filmes que levam cinco milhões de pessoas ao cinema? Não, ninguém falou disso. Aí eu completei: você é linda, jovem, milionária, carismática e talentosa. Tudo isso incomoda demais os críticos, que ganham, no máximo, Cr$ 500 mil por mês.”

Nota do blog: Essa soma equivaleria hoje a cerca de R$9.500,00 (considerando o IPCA)

 

🛑 Cancelamento
O fato é que, com ou sem crítica e aprovação popular, as gravações do segundo episódio foram canceladas e começaram as especulações da imprensa.

A reputação do programa estava arranhada com as críticas e dizia-se que Boni, vice-presidente de Operações da Rede Globo na época, teria vetado o roteiro do segundo episódio. O mesmo disseram de Xuxa. Chico Anysio, por sua vez, desmentiu ambas teorias ao Jornal do Brasil em 23/05/1991: “O Boni gostou do roteiro e Xuxa também”. Uma coisa era certa desde antes da estreia: não haveria Xuper Star na terça-feira 28/05/1991. Na data, a TV Globo exibiria o futebol Brasil x Bulgária.


Para completar o caminho de pedras de Xuper Star, Xuxa sofreu lesões em sua pele devido às inúmeras maquiagens e à alta exposição às luzes dos refletores em tão curto espaço de tempo. Até as gravações do Xou da Xuxa foram suspensas, imaginem então as de Xuper Star.

Xuxa só não gravou esse mês porque o Dr. Ivo Pitanguy proibiu. Ela está com o rosto em carne viva, por causa do uso de maquiagem, e sem maquiagem não tem programa.” – justificou Chico ao jornal Estado de São Paulo.

E era verdade, o famoso cirurgião plástico Ivo Pitanguy e a dermatologista dra. Tereza Fátima Xavier Brito tiveram que fazer um procedimento específico de peeling em Xuxa para que sua pele não ficasse manchada e irritada como estava. Os danos eram perceptíveis a olho nu como noticiou o Jornal do Brasil (23/05/1991).

O destino do programa foi decidido no dia 23/05 numa reunião entre Chico Anysio, Marlene Mattos e Boni. Até segunda ordem, somente após o total restabelecimento de Xuxa estudariam a volta de Xuper Star à programação noturna da Globo.

Tanto que Chico Anysio foi taxativo quando o jornal Estado de São Paulo perguntou se o programa tinha saído do ar: “Claro que não!(05/06/1991).



Mas o tempo confrontou Chico e, em agosto, o próprio Boni já decretava o fim da atração, pois Xuxa já havia assumido outros compromissos (a essa altura ela já estava alternando entre Buenos Aires e Rio de Janeiro para dar conta das gravações dos programas Xou da Xuxa e Show de Xuxa):

“O Xuper Star não poderá ser levado adiante porque o tempo disponível da Xuxa é cada vez mais restrito, impedindo que o projeto fosse corrigido e satisfatoriamente desenvolvido(Boni em entrevista ao Estado de São Paulo, 10/08/1991)

Mas mesmo antes disso, Xuxa já tinha dito durante o "Xou" que, além da questão de sua pele, ela não estava muito satisfeita com os roteiros seguintes que lhe foram apresentados: "Não é bem o que me falaram que ia ser, então estou esperando que apareça uma história legal. Quando aparecer, vou fazer".

E assim o programa que teria incialmente 9 episódios até o fim de 1991 se tornou um único especial noturno.

 

👽 Episódio 2 – Uma Filha do Outro Mundo
Esse seria o nome do episódio seguinte ao da estreia. O roteiro – escrito por Chico Anysio, Luís Carlos Góes e Aires Vinagre, os mesmos da estreia – apresentaria a chegada repentina de uma extraterrestre ao programa de Shirley Liz.

A ET seria interpretada por Amanda Acosta, na época uma das integrantes do Trem da Alegria. A própria Xuxa teve a ideia de convidar a menina. “Ela até me pediu para aumentar o papel da pequena extraterrestre e nós demos um segundo tratamento ao texto original” – comentou Chico no dia da suspensão do programa.

Ao final da estreia, Shirley se encontra com o cantor Wando nos bastidores da TV e dá a entender que ele estaria no episódio seguinte, mas isso não chegou a ser confirmado se realmente seria uma pista ou era apenas uma participação aleatória da estreia.

Amanda e Wando: possíveis convidados do episódio 2



🎞️ Curiosidades
🔹 As gravações duraram cerca de uma semana e começaram no dia 11/04, no Teatro Fênix. Algumas cenas usaram os bastidores do Domingão do Faustão como cenário. Inclusive Fausto Silva se encontrou com Xuxa num desses dias. O registro foi mostrado no Vídeo Show.

🔹 Uma das primeiras imagens do programa foi mostrada no dia 22/04/1991 no Xou da Xuxa, quando Rachel Batista fez sua estreia como repórter no “Jornal da Xuxa” entrevistando Jorge Fernando e a personagem Shirley Liz. Dois dias antes, o Video Show exibiu uma matéria sobre as primeiras gravações da atração.


🔹 Assim que Chitãozinho & Xororó encontram Rosicleide Sueli, ela solta um sonoro “Chitãozinho e Xororó, meeeus amoooores!”; depois dessa gravação Xuxa passou a chamá-los assim também nos seus programas e a dupla chegou a contar que até na rua as pessoas os chamavam usando o bordão de Rosicleide.

🔹 E é na apresentação da música “Gente Humilde” da dupla que podemos ver Xuxa caracterizada como o Moleque (que já havia aparecido no Chico Anysio, nos Trapalhões e até no cinema em “O Mistério de Robin Hood”). Aliás, Xuxa aparece caracterizada como a família inteira do Moleque. Chico Anysio tinha planos para ele... 


🔹 Chico Anysio não participou atuando no programa, mas em algumas fotos de divulgação vemos ele "contracenando" com a personagem Sueli Rosicleide. Reparem bem na cenas, tudo indica que os dois aproveitaram um intervalo nas gravações para repassar a cena em que Shirley Liz encontra o Dr. Reinaldo Doce

Shirley Sueli ou Rosicleide Liz? Até o roteiro enrolado simulando o microfone da apresentadora

🔹 Outros personagens criados por Chico e que seriam interpretados por Xuxa: a cozinheira da casa e a irmã de Shirley Liz. Infelizmente nunca saíram do papel.

Xuxa caracterizada como o pai do Moleque... já que o personagem teria uma participação maior no programa, talvez fosse a oportunidade dos personagem que apareceram ao fundo do clipe de "Gente Humilde" terem seus 15 minutos de fama

🔹 Pituxa Perón ou Livita Pastel? Já que o programa não ia mesmo continuar, arrumaram um destino para o figurino da personagem Livita Perón (ou parte dele). Em algumas apresentações das Paquitas no Xou em 1991, Letícia Spiller (Pituxa) surge com a inconfundível peruca ruiva da personagem para cantar "Auê".

Fica até difícil reconhecer Letícia Spiller (à direita) debaixo dessa cabeleira toda

🔹 E falando em reutilização, em 1992 o nome "Xuper Star" batizou uma das famosas sandalinhas da loira que a Grendene lançava todo ano. O comercial era protagonizado pela atriz Paloma Bernardi. Quem lembra?

Embora na tampa da caixa aparecesse escrito apenas Xu Star, o comercial de TV era bem claro: "Xuper Star"

⚖️ "Me ensina um pouco, ó vida..."
Não se pode dizer que Xuper Star foi um sucesso, tampouco um fracasso. Ele não teve tempo de construir sua história. Talvez ele tenha vindo na hora errada... Desvincular a imagem de Xuxa do "Xou" em pleno 1991 (ainda que por apenas um dia por mês) era muito ousado, pois não ela não estava fazendo uma participação especial no programa de algum humorista. O programa era dela! E fora a questão do momento, há um elemento atemporal que nunca pode ser esquecido em se tratando de Xuxa: seu peso na balança dos julgamentos sempre será maior.




sábado, 27 de março de 2021

Xuxa 58 - Histórias, Memórias e Glórias


O aniversário é HOJE, mas todo dia é dia de contar alguma história dessa pessoa que venceu preconceitos, conquistou corações, mudou padrões e ficou na memória de gerações. Tudo que se fale de Xuxa ainda será pouco, não cabe num livro, num filme ou numa série. Sempre haverá um pouquinho mais para saber e se apaixonar por essa menina que veio de Santa Rosa para o mundo...


Registro da última edição do quadro
"Quero Passar Um Dia com a Xuxa" (1989)

Foto de Luizinho Coruja


Aos 15 anos, Xuxa fazia suas aulas de ginástica olímpica na UERJ, numa tarde ela foi seguida quando voltava pra casa...

"Um cara me seguiu, quando saí da ginástica com minha irmã, Mara. Ele levava revistas embaixo do braço. Sempre fui tarada por revistas e fiquei olhando. Minha irmã, tão protetora como minha mãe, achou que era paquera. Depois soube que o cara se chamava Waltinho e trabalhava no arquivo cor da Manchete. Ele me seguiu até em casa, tomou coragem e bateu na porta. Mostrou a identidade para minha mãe e disse que na Manchete estavam procurando modelos. Sua função não era essa, mas achou que gostariam de mim. Mãe lhe deu uma foto minha, aos 13 anos, no carnaval em Coroa Grande. Não tenho muitas fotos, pois nunca gostei de fotografia por causa dos meus dentões, bochechas e sardasDois dias depois, na saída da ginástica, me telefonaram da revista Carinho. Perguntaram se eu queria fotografar. Decidi tentar. Será sem maquiagem. Em casa, a família se reuniu, fez restrições. Disse que esse trabalho não é bem visto. Mas estou começando a querer..."

A arte imita a vida... Um dos ensaios que Xuxa fez para a revista "Carinho", antes de sua primeira capa, em 1979, tinha fotos inspiradas em ginástica olímpica. A locação foi a Escola de Educação Física do Exército no Rio
Foto de Alexandre Cavalcanti (Bloch Editores)


"Uma vez quando eu quis ser modelo aos 16 anos, fizeram uma reunião familiar e meu cunhado disse para minha mãe: "Dona Alda, nesse mundo tem muita droga e prostituição, não deixe sua filha entrar nisso, ela pode até engravidar. É muito ingênua...

Então minha mãe respondeu: "Se ela se drogar, eu cuido dela. Se ela se prostituir, não deixarei de estar ao lado dela. Se ela engravidar, eu cuido do bebê dela. Mas nada disso vai acontecer porque eu sei a filha que eu tenho."

Sempre que me ofereciam bebida, maconha e outras coisas, eu me lembrava que não deveria decepcionar a minha mãe."

Dona Alda e Xuxa no jantar que reuniu a família Meneghel e fez parte do encerramento do especial de Natal da loira, gravado em 11/12/1997
Foto de Jorge Cysne


"Fiz a capa para a Manchete com Pelé, a Luíza, Márcia Brito e uma morena de Brasília (Adeline). A matéria vai se chamar "Minha Liberdade Vale Ouro". Pelé perguntou meu nome, eu contei que tenho 17 anos e sou gaúcha. A turma combinou de ir à noite ao Canecão, assistir ao show da Elis e esticar no Régine’s. Disse para Pelé que não poderia ir, só se o pai e mãe fossem juntos, porque eu não saía sozinha. Ele disse que ligaria para o pai e ligou, mas o pai desligou o telefone quando ele disse quem era. “E aqui é a Rainha Elizabeth”, pai respondeu.

...Quando soube que era realmente o Pelé, pediu desculpas, mas só me deixou sair com meu irmão Cyrano que ficou o tempo todo no carro e não queria descer. Mãe não dormiu até que eu cheguei, às quatro da manhã.”

Além da capa da Manchete, esse ensaio também serviu como capa para a publicação argentina El Clarín em agosto de 1983
Foto de Sérgio de Souza


"Vim a Nova York por dois motivos: para descansar um pouco minha imagem e para aprender um pouco mais de fotografia e entender os lances de luz e maquiagem. Sei que muita gente me critica. Dizem que faço caras e bocas, que sou criança etc... Mas não pretendo mudar o meu estilo. Eu quero me aperfeiçoar" - contou a loira num bate papo com a jornalista Eugênia Fernandes, que trabalhava na sucursal de NY da Bloch Editores.

Esse é um dos registros da primeira viagem de Xuxa à Nova York (julho de 1981), um presente que ganhou de Pelé quando completou 18 anos
Foto de Luiz Alberto


"Foi em nossa casa que nasceu uma estrela chamada Xuxa. (...) Mas Xuxa não era só beleza. Era vontade de vencer e muita responsabilidade. (...) Senti desde o início que aquela menina estava predestinada ao sucesso. Tudo que fazia era coroado pelo êxito. Ninguém resistia a seu charme feito de correção e simplicidade.

O segredo de Xuxa é esse: ela sabe ser ela mesma e tem total consideração pelas pessoas e grande respeito pelo seu trabalho. (...) Xuxa nunca faltou a uma gravação ou sequer chegou atrasada. Um verdadeiro exemplo de profissionalismo e de pontualidade britânica.

Querida Xuxa, sempre que nos vemos, deixamos rolar algumas lágrimas. Você merece todo o sucesso e toda a felicidade. Você merece tudo que a vida pode dar porque você é Gente."

Xuxa e o sr. Adolpho Bloch no aniversário de 31 anos da loira em 1994
Foto de Sérgio de Sousa


Durante todo o período em que apresentou o "Clube da Criança" na TV Manchete, Xuxa também exerceu a função de modelo e manequim.

Convites para editoriais nunca pararam de chegar, mas é curioso ver como parte desses ensaios se adaptou ao estilo de Xuxa na TV. Já não era mais o caso de mostrar a roupa na revista e sim mostrar que era "A" Xuxa vestindo a roupa na revista.

Até mesmo as faixas de cabelo "do Clube" vieram parar nas páginas das revistas de moda... Daí para as famosas xuquinhas foi só questão de tempo, mas essa história todo mundo já sabe, né?

Xuxa posa para o catálogo de Primavera da revendedora de roupas "Mand", publicado em julho de 1984


Já em seu primeiro dia como contratada da Rede Globo; Xuxa chegou causando frisson. Nos corredores da emissora fotógrafos e "altinhos" pediam autógrafos para si e seus filhos e a loira, claro, atendeu a todos pacientemente.

"Sempre sou tratada com muito carinho e não poderia me incomodar com o reconhecimento do público. Aprendi muito nesses três anos que estou trabalhando com crianças e quero aprender muito mais. Acho lindo o jeito que as crianças me tratam." 💙

Ela também falou da nova etapa profissional: "O que me levou a decidir pela Globo foi a seriedade profissional da proposta e a possibilidade de crescer com meu programa. O que me prendia na Manchete é um carinho imenso pelo Sr. Adolpho Bloch, mas agora precisei parar de pensar com o coração e agir profissionalmente." - contou ao jornal "O Globo".

‼️E sabem o que mais aconteceu nesse dia? A gravação da entrevista para o "Jornal Hoje"! É... Aquela mesmo que você já viu inúmeros trechos reprisados no Vídeo Show e outros programas da Globo. A entrevista foi exibida quatro dias depois 😉

Nesse mesmo dia (26/02/1986) Xuxa gravou sua primeira entrevista
para o "Jornal Hoje", exibida quatro dias depois

Foto de Celso Meira


"Um dia o João Araujo, presidente da Som Livre, chegou pra mim e disse: 'Guto, contratamos uma moça que era da Manchete, a Xuxa, e a Globo vai fazer um programa infantil com ela e precisamos gravar um disco'. Respondi: "ok, e ela canta?", ao que ele respondeu "Não faço a menor ideia, ela está vindo pra te conhecer"

Eu estava no meu escritório; quando ela chegou, parecia que tinham acendido 10 mil refletores, a sala ficou toda iluminada. Uma beleza hipnótica e uma simpatia também. Pedi: "faz essa nota pra mim" e ela nada... "E essa?" Nada também. Além disso ninguém queria dar músicas para o disco pois não acreditavam nela como cantora.

Fui atrás de músicos de rock, gente do Barão Vermelho, Rita Lee, gente de peso. Eu tinha que começar assim. Ninguém acreditava que o disco fosse vender, nem eu. E daí foi ouro, platina, duplo-platina (500k), quádruplo-platina (1M), oito platinas (2M) e bateu 2,5 milhões e eu disse: "João, não dá mais pra ficar fazendo disco de platina pra Xuxa, vamos criar o 'Disco de Diamante' e assim surgiu o primeiro disco de diamante DO MUNDO."

⏪Depoimento do produtor musical @gutogracamello para a série "Os Anos 80 Estão de Volta" (Canal Viva)

Xuxa recebe Guto Graça Melo no palco do TV Xuxa exibido em 10/09/2011
Foto de Blad Meneghel


Guto exibe, orgulhoso, algumas das certificações pelas
vendas do disco "Xou da Xuxa" em novembro de 1986

Foto de Fernando Pimentel


"Uma vez Paquita, sempre Paquita!" - por diversas vezes Xuxa disse isso e ela tem razão...

Ser Paquita era o sonho de milhares de meninas entre os anos 80 e 2000. Um sonho que se tornou uma profissão, a primeira porta para seus objetivos. Profissão criada por Xuxa, que sempre fez questão de dizer o quanto se orgulha de ver suas meninas vencendo naquilo que escolheram fazer.

Afinal uma das primeiras coisas que elas aprenderam foi "que vencer é pra quem sonha e quem procura" e o melhor exemplo "vem da energia da Fada-Madrinha" que as ensinou.

Xuxa recria, nos bastidores do TV Xuxa especial de seu aniversário em 2012, a clássica pose das Paquitas ao lado de Tati, Dezza, Letícia e Catu
Foto de Blad Meneghel


A modelo é como uma atriz muda, são diversos os personagens que ela tem que interpretar sem dizer uma fala sequer.

Xuxa, desde os tempos de modelo, desempenha esse papel com facilidade. No começo a imagem mais divulgada era a de sex symbol, um "vulcão" como disse a Playboy em 1982... O engraçado era ler, depois, o relato do repórter dizendo que não viu vulcão nenhum, não escondendo a decepção de ter encontrado uma moça simples, usando camisas largas, cercada pelos familiares e que estava mais interessada em falar do amor pelos bichos do que qualquer outra coisa.

Mas a veia camaleônica, o lado "Madame X" (a famosa espiã cheia de disfarces) aflorava mesmo quando lhe davam a oportunidade de "não ser Xuxa" e a loira se reinventava fazendo a gente repetir aqueles versos de Caetano: "rapte-me, camaleoa, adapte-me ao seu 'ne me quitte pas' "

Xuxa se diverte com a peruca de vedete dos anos 60 durante o ensaio "Madame X" para a revista Elle, em outubro de 1990. O fotógrafo, Paulo Vainer, garantiu sua primeira capa na Elle brasileira justamente com esse ensaio


Depois de conquistar a América Latina, Xuxa deu mais um grande passo em sua carreira: e no domingo, 15/03/1992, no horário nobre da TV espanhola, estreou o "Xuxa Park" pela Tele5.

A aposta era grande e o resultado maior ainda! Claro, Xuxa não era desconhecida; ela já havia apresentado um especial de TV no natal de 1991 e aparecido em alguns programas divulgando seu disco. Mesmo assim o share da audiência surpreendeu até o diretor da emissora.

‼A audiência da estreia foi tamanha que decidiram reprisar o programa na quinta-feira seguinte e surpresa! A audiência da reprise foi ainda maior, o equivalente a 50% dos aparelhos ligados em toda a Espanha.

"Xuxa Park", ao contrário do "Show de Xuxa", não era considerado um infantil e sim um programa pra família. Uma mistura de musicais, gincanas, atrações no "Teatro de Xuxa" (nome dado ao cenário). O famoso ratinho Topo Gigio tinha participação fixa no quadro em que conversava com a loira.

Nos bastidores do "Xuxa Park" na Espanha (1992)


Gravação do "Xuxa Park" com o ratinho Topo Gigio
Fotos: Divulgação Tele5


Estrear um programa inteiramente falado em inglês foi um dos grandes desafios de Xuxa, mas ela não se intimidou. Mudou-se para Los Angeles no início de1993 e passou a estudar inglês na famosa "Berlitz School of Los Angeles". Eram 8h de aula diariamente, ministradas por três professores.

"Podem não acreditar, mas desde o dia que cheguei - e lá se vão dois meses - não pude sair para fazer compras. Meus horários são controlados. Cumpro meu objetivo: estudo e trabalho; só aos domingos posso sair para andar pela cidade.

Aqui estou sozinha, vivo sozinha e não estou acostumada a isso. Sei que esse tempo é para aprender. E quero aprender o idioma e os costumes das pessoas, mas não vou mentir: aqui dentro, sinto um grande vazio. Por outro lado sei que minha vida está mudando, que estou amadurecendo. E não estou falando só profissionalmente, também meu corpo, meu coração."

Xuxa e Janet, uma das professoras que a esperavam todas
as manhãs na Berlitz School of Los Angeles, em 1993

Foto de C. Casco (Editora Perfil)


Já ouviram falar do Grauman’s Chinese Theatre (Teatro Chinês), em Hollywood, onde acontecem as estreias mundiais de muitos filmes e sua calçada que eterniza mãos e pés de artistas?

Em Orlando, existe uma réplica dentro da Disneyworld que é tão famosa quanto, mas direcionada aos personagens e artistas mais famosos da Disney. Já sabem quem também ganhou um registro lá mesmo sem ser "da Disney"? A Rainha, claro! Xuxa deixou sua marca bem ao lado da de Mickey Mouse, quando foi homenageada no dia da estreia de seu programa americano, em 1993 🇺🇲

"É a primeira vez que uma apresentadora infantil sul americana é homenageada na Disney por sua simpatia e sucesso. Xuxa tem um carisma especial. É uma energia mágica!" _ afirmou o então diretor publicitário da Disney, sr. Carlos González.

Xuxa deixa sua marca na calçada do "Teatro Chinês" da Disney. Primeira apresentadora sul americana a conseguir esse destaque (13/09/1993)
Foto de Xicão Jones


Em 1996, o caderno "Ela" do jornal "O Globo" elegeu Xuxa, Luiza e Zezé como as integrantes da "Brasileiríssima Trindade" (título da matéria), representando a diversidade da mulher brasileira. A escolha das três foi feita pelo cantor Hebert Vianna, que havia lançado a música "Lourinha Bombril" (Paralamas do Sucesso). A composição fala da biodiversidade nacional, tendo a mulher como sua principal representante.

🎬 Pra quem gosta de bastidores, olha essa descrição: "Xuxa amargava uma forte gripe, mas gostou da ideia de se juntar às outras. Zezé também amargava uma gripe, mais a perspectiva de acordar às 5:30h, na madrugada seguinte para gravar a novela "Xica da Silva". Luiza, por sua vez, recém chegada de 40 dias de férias em que não fez nada além de aprofundar sua morenice ao sol de Ibiza, era a reserva de humor da noite."

Luiza, Xuxa e Zezé: a Brasileiríssima Trindade escolhida pelo jornal O Globo para exemplificar a biodiversidade da mulher brasileira (24/08/1996)
Foto de Nana Moraes


Pense nos shows mais lotados que você já viu...Tipo o Rock in Rio 2019 que teve público de 100 mil pessoas por noite. Agora pense em Xuxa e multiplique esse público por 2,5 numa tarde de sol a pino!

Sim, 250 mil pessoas lotaram o Parque do Carmo em São Paulo/SP para ver o show da loira, que pisou no palco às 15:40h daquele domingo de setembro de 1997.

A administração do parque reconheceu que não esperava tamanho público - "A Xuxa é especial e não temos espaço suficiente para pessoas especiais.", disse o então responsável, Sr. Maurício G. Silva, que acreditava que 40 mil pessoas estariam bem acomodadas...

Uma multidão sob o comando da Rainha (28/09/1997)
Foto de Lourival Ribeiro

Visão aérea do Parque do Carmo (SP) durante o show de Xuxa
Foto de Luiz Paulo Lima/AE



Quando estava com três meses de gravidez (1998), Xuxa fez um ensaio fotográfico que, por muitos anos, ficou guardado do público, até que ela o escolheu para estar no livro "Xuxa" da Toriba em 2017.

Esse registro, curiosamente, não entrou para o livro, mas foi divulgado em 2000 pelo fotógrafo André Schiliró numa publicação direcionada a fotógrafos, mas não havia a contextualização da época em que foi tirada.

Sem dúvida, um dos mais bonitos que ela fez até hoje. E nem foi por conta de uma grande produção, pois era só ela e os lençóis. Nada de mil acessórios, maquiagens, apliques... Apenas ela vivendo os primeiros momentos de seu maior presente: ser mãe 💙

Xuxa aos três meses de gravidez
Foto André Schiliró


"A primeira vez que a ouvi dizer mamãe, nem saiu direito... Ela tinha oito meses. Foi meio "mãmã". Ela acordou, olhou pra mim e falou. Não gritei com medo de assustá-la. Só estávamos as duas no quarto. Abracei minha filha carinhosamente, a beijei e chorei de alegria. Dividi com os anjos e com Deus essa emoção única. Ser mãe, para mim, é viver num paraíso de alegrias.

Quero vê-la sorrir, fotografar todas suas gracinhas e gravar seus primeiros passos. Quero que ela veja mais tarde o quanto sou feliz por ser mãe dela 💙

Tenho tanto amor por ela que chega a doer. Vou tentar passar para minha filha o que é disciplina, uma atitude importante. Quero também que ela seja alegre como sempre fui. Respeitosa com as pessoas e com a natureza e que seja feliz, claro!"

Sasha, com 1 ano e meio, se diverte em companhia da mãe,
durante viagem ao Chile (19/02/2000)

Foto de João M. Nunes (Editora Símbolo)


Ver as três loiras que marcaram a infância de muita gente juntas é sempre divertido e a gente aproveita para relembrar a primeira vez que as três se encontraram: foi na inauguração do Hopi Hari, em Vinhedo/SP.

"Um parque de diversões foi o lugar ideal para estarmos juntas pela primeira vez, pois nosso trabalho é divertir as crianças" - disse Angélica e Xuxa arrematou: "E isso só não aconteceu antes por causa das nossas agendas." Nem precisamos dizer que essa reunião chamou mais atenção do que a inauguração em si 😄

A infãncia de uma geração resumida numa foto...
Eliana, Xuxa e Angèlica na inauguração do Hopi Hari (27/11/1999)
Foto de Laílson Santos / Ag. Imagens&Imagens


Falando em marcar a infância, o XuChá / Xuxa Xou foi o ponto de encontro das gerações que sempre acompanharam a Rainha👑 Nos shows que percorreram o Brasil entre 2016 e 2019, a loira sempre contou a história de um momento "choque de gerações":

"Eu estava fazendo as fotos antes do show e algumas eram com os personagens. Daí veio o rapaz que faz o Praga e eu disse: "vai, pega meu pé igual o Praga fazia" e ele ficou me olhando, meio sem entender. Eu falei de novo: "igual o Praga, no Xou da Xuxa!"... E ele me olha e fala: "ah, eu não sei como é... É que eu sou da geração da Bila Bilu (a elefanta do XSPB que surgiu em 2004)" 💁🏻‍♂️

Xuxa e o Praga "2.0", no Citibank Hall, em São Paulo,
segunda cidade a receber o XuChá (02/12/2016)
Foto de Blad Meneghel



E ainda falando de bastidores, o XSPB 3 tem uma história curiosa... Mas antes vamos lembrar que ele em menos de 3 meses bateu a marca de 500 mil cópias vendidas (e olha que a versão em DVD ainda não tinha saído) e ainda ganhou o Grammy Latino na categoria "melhor álbum infantil" 🏆

A curiosidade é que o último clipe a ser gravado foi justamente o de abertura, que trazia a música-tema do projeto. Porém, as duas coisas (clipe e música) entraram para a categoria "nunca vistos" da loira.

O clipe acabou limado na edição final, talvez porque seu estilo todo baseado nas discotecas dos anos 70 não tivesse nada a ver com o clima country dos demais. 🤷🏼‍♀️

Xuxa durante a gravação do clipe (não lançado),
que seria a abertura do XSPB 3 (25/02/2002)

Foto de Kiko Cabral



O mês de março traz também uma data que tem muito a ver com Xuxa:  o Dia da Mulher, que também é o dia do aniversário de Hebe. Se já não estivesse brilhando no céu, completaria 92 anos, neste ano.

Falar do carinho existente entre Xuxa e Hebe é desnecessário, pois todos sabem como elas se gostavam. Xuxa foi uma das últimas pessoas, fora da família, a vê-la antes de sua partida.

Em 2008, Hebe fez questão de estar no lançamento do XSPB 8 realizado no parque "Mundo da Xuxa" em São Paulo e cobriu a loira de carinho, chegou a dizer que nem ia dormir direito porque estava eufórica em reencontrar Xuxa.

O carinho das duas maiores apresentadoras da TV brasileira no dia do lançamento do XSPB 8, no Parque "Mundo da Xuxa", em São Paulo (12/09/2008)
Foto de Thiago Bernardes



Muito se sabe sobre as conquistas de Xuxa: recordes em discos, filmes... Poucos artistas conseguem tanto e menos ainda usam desse poder para dar voz a quem precisa. Xuxa foi também pioneira nesse aspecto.

Ela trouxe para a frente das câmeras as crianças com necessidades especiais pela Síndrome de Down, fez música, conversou de igual pra igual, colocou em seus vídeos, mostrou que eles precisam de respeito e não piedade.

"Todos deveriam se tocar e ajudar na luta pela inclusão. São pessoas que necessitam de uma atenção diferenciada, mas têm seus direitos, precisam trabalhar, e de escolas preparadas para recebê-los. Eles são apaixonantes, mesmo nas fases da adolescente e adulta não perdem a pureza, a essência da infância." ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O Dia Mundial da Síndrome de Down é comemorado em 21/03, mas Xuxa nunca precisou de um dia específico para mostrar o que defende e acredita. Ah, sabem por que o dia é comemorado nesse dia? As pessoas portadoras dessa síndrome possuem três cópias do cromossomo 21 em vez de duas 🧬🥰

Xuxa e o baixinho Vinícius Oliveira, na época com 10 anos, gravam no Bosque da Barra (RJ), o clipe "Amigo Especial", exibido no Planeta Xuxa de Dia das Mães em 2002. A gravação aconteceu no dia 30/04/2002
Foto de Cleomir Tavares (Mural da Fama)


E se a gente vai falar de amor, não tem como deixar o maridão Junno Andrade de fora... Por isso vamos relembrar o primeiro aniversário que a loira passou ao seu lado. O aniversário de 50 anos da Rainha foi comemorado em grande estilo com uma festa para 600 convidados no Hotel Unique em São Paulo/SP. O evento aconteceu dois meses após a data oficial (27/03) para que as agendas de todos os convidados possibilitassem sua presença.

Afinal, mais do que festejar o aniversário da loira, aquela era uma noite beneficente e todo o empenho deu certo: foram arrecadados 3 milhões de reais, revertidos ao Hospital do Amor (Barretos) e à Fundação Xuxa Meneghel 🙏🏻

Ah, só esse vestido lindíssimo, criação de @SamuelCirnansck , foi arrematado no leilão por 200 mil reais.


Junno e Xuxa: o primeiro aniversário juntos (28/05/2013)
Foto: Caio Guimarães


É tanta história que se a gente não para por aqui, teríamos assunto para uns 30 posts desses ou mais. O mais incrível é saber que a cada ano essas histórias se multiplicam, pois Xuxa continua se reinventando, produzindo, criando, vivendo...

        Que venham cada vez mais histórias, memórias e glórias
Foto de Brunno Rangel






LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...